Watch_Dogs 2 e o pedido de desculpas da Ubisoft | Review

Então, você se lembra de Watch_Dogs? Aquele jogo da Ubisoft lançado em 2014 que prometeu ser revolucionário, superar Grand Theft Auto V em seu marketing totalmente exagerado e mais inúmeras coisas que nunca foram vistas antes em nenhum jogo, com gráficos surreais, controle total da cidade por meio de hack no celular, dentre outras coisas e que não conseguiu cumprir nem metade do que foi dito? Pois é, mas deixe ele de lado ao pensar em jogar sua sequência, porque Watch_Dogs 2 é quase tudo que o seu antecessor prometeu e falhou em cumprir.

É inegável dizer que o grande problema de Watch_Dogs foi seu marketing exagerado, marketing esse que fez o jogo levar diversos prêmios em eventos antes mesmo de ter sido lançado e que criou uma expectativa geral sobre o jogo, deixando grande parte do público ansioso para algo que em seu resultado final parecia ser um jogo totalmente diferente. Após aprender com os seus erros, a Ubisoft decidiu fazer com que o marketing da sequência fosse mais controlado, mais pé no chão e o resultado não poderia ser diferente: o jogo é o mesmo que nos foi apresentado em gameplays, claro que com alguns defeitos e um pequeno downgrade. Porém isso é o de menos se for comparar com tudo o que seu antecessor sofreu. E isso torna Watch_Dogs 2 um excelente pedido de desculpas pelo que foi apresentado no primeiro jogo.

83f1e1d9c99258f4416b693b176e0c99-7486298-8449169

Em Watch_Dogs 2, acompanhamos Marcus Holloway – um jovem hacker que acabou sofrendo injustamente nas mãos do Ctos 2.0 (um sistema que controla toda a cidade e que é usado para vigiar e armazenar todos os dados pessoais da população) ao ser acusado por um crime que não cometeu. Com o desejo de impedir que o mesmo aconteça com o restante da população, Holloway faz um teste de iniciação para entrar no Dedsec no qual ele apaga sua identidade do sistema e se torna um fantasma – assim como o restante do grupo. Após isso ele se junta a Wrench, Sitara e Josh na missão de derrubar o sistema de uma vez por todas. Diferente de seu antecessor, que apresentava o grupo hacker bem superficialmente, servindo apenas como um suporte para o Aiden, aqui o foco é justamente no Dedsec e em como ele funciona, mostrando seus objetivos, sua ideologia e por aí em diante. E todos esses fatores são os principais pontos positivos do jogo – a história, o carisma dos personagens apresentados e o foco no Dedsec tornam Watch_Dogs 2 totalmente superior ao primeiro jogo.

A jogabilidade melhorou muito do primeiro pra cá: a movimentação ficou melhor, o parkour se tornou mais útil e a dirigibilidade mais fácil de se controlar enquanto em seu antecessor o parkour era algo totalmente inútil e dirigir um carro era algo bem complicado, visto que o controle era bem travado. Em suma, é notável uma grande melhora na movimentação. O grande problema do jogo são as missões, que basicamente se resumem em ir para algum lugar, hackear um objeto e depois fugir do local – o diferencial é que você tem três maneiras para executar a missão: em stealth, no modo duro de matar onde você entra atirando em todo mundo sem ligar pras consequências ou com os gadgets disponíveis no hackerspace, como por exemplo os drones controláveis. Essa diferenciação na forma de abordar uma missão torna o processo menos enjoativo e dá mais graça ao jogo, inclusive para fechá-lo em 100%.

watch dogs 2

Os gráficos também sofreram uma notável melhoria, São Francisco é lindo e dá pra ficar horas dirigindo pelo enorme mapa do jogo só de bobeira, olhando cada detalhe do ambiente. Claro que como todo jogo da Ubisoft ainda sofremos com uma má otimização e com bugs recorrentes ao longo da gameplay, que vão desde pessoas voando ou andando sob superfícies invisíveis até carros voando, girando e fazendo outras mil coisas ao mesmo tempo. Esses bugs chegam a ser divertidos até e não atrapalham a jogatina, sendo inclusive mais divertidos no multiplayer do jogo. Inclusive, o multiplayer é bem semelhante ao do seu antecessor, basicamente você pode jogar com algum amigo e ficar de bobeira pela cidade ou você pode invadir sessões de outros jogadores, assim como eles também podem invadir a sua durante sua jogatina para roubar seus dados. Em suma é isso, não há nenhuma mudança drástica nesse ponto.

maxresdefault-5739755-2520850

Um ponto interessante de comentar é a forma de como o segundo título tem conexão com o jogo anterior: ele simplesmente nos mostra com alguns diálogos falando sobre o ocorrido em Chicago e com a presença de alguns personagens do primeiro jogo – inclusive o próprio Aiden Pearce em uma missão secundária. Além disso, na DLC Human Conditions, temos a presença do mercenário Jordi. Basicamente são essas as ligações com o primeiro jogo: breves diálogos e presença dos personagens anteriores.

Watch_Dogs 2 é uma excelente evolução do que o primeiro jogo foi e cumpre quase tudo o que seu antecessor prometeu que faria: possui uma boa história, personagens carismáticos, uma São Francisco viva e cheia de lugares para explorar, várias missões secundárias e um Multiplayer bem divertido para passar o tempo. É um jogo que vale a pena ser jogado mesmo que você tenha achado o primeiro ruim ou que não tenha tido nenhum contato com o mesmo, afinal, este pode ser o começo de uma franquia bem promissora.

Watch_Dogs 2 foi desenvolvido pela Ubisoft e lançou em Novembro de 2016 para Xbox One, PlayStation 4 e PC.