Tag: Harry Potter

Playstation 5 Showcase | Jogo do Harry Potter foi anunciado

Depois de várias especulações, o game RPG de Harry Potter finalmente foi revelado durante o evento PlayStation Showcase desta quarta-feira (16).

Chamado de Hogwarts Legacy, o game está em desenvolvimento pela produtora Avalanche Studios.

No trailer de revelação, é possível observar alguns detalhes sobre o mundo do jogo.

Nele, os jogadores poderão criar seus próprios bruxos para explorar a região de Hogwarts. Veja aqui abaixo:

Pelo visto, o jogo vai se passar no passado de Hogwarts , durante o fial do século 19, bem antes das aventuras do bruxinho que da nome a série.

Segundo a descrição do trailer no YouTube:

“O jogador poderá controlar um bruxo estudante que tem uma “chave para um segredo antigo que poderá dividir a civilização bruxa”.

Como foi mostrado em seu trailer, o game vai ser lançado em 2021 e será disponibilizado para outras plataformas, como o PlayStation 4 , Xbox One , Xbox Series X e PC.

Um pouco mais sobre Harry Potter

Harry Potter é uma série de sete romances de fantasia escrita pela autora britânica J. K. Rowling.

A série narra as aventuras de um jovem chamado Harry James Potter, que descobre aos 11 anos de idade que é um bruxo ao ser convidado para estudar na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts.

Harry Potter

Para mais notícias relacionadas ao universo Harry Potter ou até dos games em geral, basta seguir o 1 Real a Hora no Facebook, Twitter e Instagram.

Fonte da Notícia: Playstation

Harry Potter está finalmente (quase) disponível na Netflix

Será se o meme estaria finalmente chegando ao fim? Pedir os filmes da série Harry Potter sejam adicionados ao catálogo do serviço de streaming Netflix se tornou algo tão normal no Twitter que a própria empresa já havia sido obrigada a reconhecer o meme. Depois de inúmeras brincadeiras e provocações, a Netflix finalmente parece querer atender o desejo dos fãs. Mesmo que parcialmente, por enquanto.

hp5-1654736-7064140

Na madrugada desta quarta-feira (01), foram adicionados os quatro últimos filmes da série Harry Potter ao catálogo da Netflix. Não é exatamente o que todos os fãs haviam pedido, mas é um começo? Confira como a empresa anunciou a chegada dos títulos no Twitter:

A Ordem da Fênix, O Enigma do Príncipe e As Relíquias da Morte partes 1 e 2 já estão disponíveis para streaming na Netflix. As Relíquias da Morte Parte 1 era o único filme que já estava disponível no catálogo, e deve sair do mesmo já no dia 15 deste mês, caso a concessão não seja renovada. Agora é torcer para que a Netflix mantenha o filme no catálogo e traga também os filmes mais antigos da série.

Sobre Harry Potter

Harry Potter é uma série de livros de fantasia escritos pela autora britânica J. K. Rowling. Os livros contam a história de um jovem bruxo, Harry Potter, e seus amigos Hermione Granger e Ron Weasley, que são alunos da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. A história conta sobre a luta dos bruxos contra Lord Voldemort, um feiticeiro que pretende ser imortal, derrubar o governo dos bruxos conhecido como o Ministério da Magia e subjugar todos os bruxos e trouxas (Não-bruxos).

harry-potter-book-list_bl_16-9-jpg-corpimagerendition-xxl_-1400-788-3670000-9587608

Desde o lançamento do primeiro livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal, em junho de 1997, os livros tiveram um sucesso gigante, sendo muito bem recebidos pela crítica e pelo público ao redor do mundo.

Os livros deram origem a uma série de adaptações em longa-metragens, que foram um sucesso de público no cinema, além de peças teatrais e sequências a história original.

Para mais novidades sobre Harry Potter, Netflix e muito mais, fique ligado em nosso site e redes sociais!

Harry Potter terá mais 4 livros em sua franquia!

Os fãs da do mago mais querido de Hogwarts podem comemorar. A autora da franquia, J.K. Rowling, deu o aval para a publicação de mais 4 livros digitais, os quais serão focados na expansão desse universo mágico. A nova série que se chamará Harry Potter: A Journey Through , já possui até descrição. Confira:

A série conta com quatro leituras curtas, tematizadas com lições de Hogwarths, e irá te levar de volta no tempo mais uma vez para aprender sobre o folclore tradicional e magia no coração das histórias de Harry Potter, acompanhadas de alguns desenhos novos e incríveis, feitos pelo artista londrino Rohan Daniel Eason. Você talvez se lembre de Harry Potter – Uma História de Magia e a edição família, Harry Potter – Uma Jornada Através da História da Magia, que foram lançados em 2017. Isso foi seguido pelo audiolivro do ano passado, que contava com entrevistas expandidas com a exibição de curadores, narrado por Natalie Dormer. Esses curtos eBook são adaptados do audiolivro e são a chance de absorver os personagens coloridos e os curiosos incidentes da história real da magia de uma maneira mais compacta – perfeitos para o trem ou qualquer outro transporte Trouxa de sua preferência. 

Além de explorar as origens da magia através da história e folclore, os curtos eBook também terão algumas notas, páginas manuscritas e esboços charmosos como vistos anteriormente em Harry Potter: Uma História de Magia.

Os dois primeiros volumes, baseados em Encantamentos e Defesa Contra as Artes das Trevass e Poções e Herbologia, serão lançados em 27 de junho, com os outros dois sendo lançados pouco depois.

Os livros digitais serão lançados pela Pottermore, e o primeiro já tem data marcada, chegando ao site no dia 27 de junho, enquanto os outros chegarão nos meses seguintes.

Para mais novidades fique atento ao nosso site e redes sociais.


20 anos do mundo mágico de Harry Potter!

Há 20 anos era lançado pela editora Bloomsbury na Inglaterra o livro Harry Potter and the Philosopher’s Stone, o primeiro livro de uma vindoura série focada nas aventuras de um jovem bruxo descobrindo um mundo repleto de desafios e perigos.
Lançado aqui no Brasil em 1 de janeiro de 2000 como Harry Potter e a Pedra Filosofal pela editora Rocco, o livro fez um tremendo sucesso entre o público infanto-juvenil !

J. K. Rowling nos introduziu uma aventura diferente, envolvente e surpreendente!

Quem cresceu acompanhando a série teve uma experiência incrível! havia esse sentimento de identificação entre os personagens e os leitores. A medida que Harry crescia ele passava por situações na qual resultava em um amadurecimento bem visível do personagem! E isso refletiu na vida de vários leitores! grandes aprendizados como o valor da amizade por exemplo, foram de imensa importância na formação de muitos jovens.

Assim como eu, muitas crianças conheceram o universo dessa série por meio das adaptações do cinema. Em 2001, chega aos cinemas a primeira adaptação e a partir daí podemos acompanhar um show de adaptação com um nível muito bom de fieldade a obra original, apesar de alguns enredos terem sofrido por conta do tempo de tela, ainda assim o saldo de toda a franquia em relação a adaptação é muito positivo.

Um dos pontos que cruciais do relacionamento dos fãs com a obra são os personagens da série, que é cheia de personagens carismáticos. Todo personagem por menos importante à trama, deixou uma frase ou comportamento que o identificasse perante a memória do leitor.
Desde a velhinha do carrinho de doces do Expresso de Hogwarts até Lord Voldemort.Por falar no Lorde das Trevas, a figura de Voldemort não só foi um grande personagem dos livros, como um dos grandes vilões da Literatura e do Cinema. Hoje em dia é considerado um dos maiores vilões da cultura pop contracenando ao lado de Sauron, Coringa e Darth Sidious em outros produtos como The Villain Pub e Batman: Lego.
De minha parte tenho que citar Severus Snape, um dos melhores personagens da franquia, e um dos meus favoritos. O personagem surgiu como um obstáculo na vida de Harry Potter, sempre o dando uma atenção diferenciada, como um antagonista. Ao ser revelado a verdade a respeito do personagem tudo fez sentido de uma forma que Snape se tornou o personagem mais complexo e humano da série. Tudo isso somado com a atuação de Alan Rickman nos cinemas o transformou em um dos personagens mais icônicos da franquia.

Além da série principal, mais 3 livros foram lançados pela autora. Esses títulos estavam presentes no universo da série original e foram lançados com a autoria dos personagens que os escreveram.
Desses três, o livro Animais Fantásticos e Onde Habitam conseguiu ter a atenção da Warner Bros., que junto de Rowling iniciou uma nova franquia de filmes inspirada nesse livro usado na grade curricular de Hogwarts. Em 2016 conhecemos Newt Scamander, o autor do livro, em um filme que trouxe de volta a magia apresentada na franquia anterior. O filme não só foi um sucesso, como rendeu futuras sequências onde o universo será expandido e personagens nunca explorados vão ter sua vez de brilhar.

Ainda em 2016, foi lançado uma continuação da série original no teatro: Harry Potter and the Cursed Child. A peça esteve envolta de muita polêmica pelo fato de apresentar Hermione Granger como uma mulher negra. Mas isso não impediu que a peça fosse sucesso de crítica. Mas apesar dos elogios dos especialistas em Teatro, ao ser lançada em um livro, o roteiro teve críticas negativas pelos fãs dos livros. Pois apresentava idéias bem audaciosas em relação ao futuro de muitos personagens, que no fim não agradou ao grande público de fãs. O universo apresentado nessa série é muito rico, e ainda tem muito a ser apresentado e explorado. O site Pottermore foi criado pra satisfazer essa sede de informação que surgiu após o termino da série. A autora sempre o está atualizando com tópicos, contos e curiosidades sobre esse mundo mágico.

“Há 20 anos, o mundo em que eu vivia sozinha de repente se abriu para todos. Tem sido ótimo. Obrigado” – J. K. Rowling

20 anos de Pura Magia!

Aniquilem o Ministério da Magia

Você gostaria de viver no mundo de Harry Potter? Muitos leitores gostariam de poder, magicamente, teletransportar-se para Hogwarts ou para o Beco Diagonal, entretanto, apesar de toda a magia, o mundo ficcional de J. K. Rowling não é simplesmente tão bom quanto o nosso. Prova disso é a vida no mundo real de hoje ser mais segura, próspera e confortável do que jamais foi. Por que alguém preferiria o mundo bruxo do progresso frustrado e da autoridade arbitrária?

Por que restringir a livre troca entre o mundo mágico e o mundo trouxa?

A série Harry Potter é brilhante e épica, inobstante, não podemos ser cegados pelo nosso amor por ela. Bruxas e bruxos estão presos, afinal, à tecnologia medieval. Eles raramente podem fazer uso de equipamentos do mundo trouxa, bem como não podem unir o melhor dos dois mundos, porque os regulamentos do Ministério da Magia proíbe-os de fazê-lo.

Mesmo antes da ascensão de Lord Voldemort, o Ministério da Magia já debilitava o mundo mágico, preservando a pobreza e impedindo o progresso.

Considere o diálogo a seguir entre o jovem Harry e Hagrid, o gigante gentil que o introduziu ao mundo bruxo:

“Mas o que um Ministério da Magia faz?”

“Bem, seu trabalho principal é manter em segredo  que existem bruxos e bruxas de cima a baixo no país.”

“Por quê?”

“Por quê?! Caramba, Harry, todos esperariam soluções mágicas para os seus problemas. Nah, nós estamos melhor deixados em paz.”

Alguns libertários defendem Harry como um dos seus, porém perceba que Harry nunca questionou a existência do Estatuto Internacional de Sigilo da Magia, o qual ainda continuava em vigor muito tempo depois de os trouxas pararem de perseguir bruxas.

É um grave erro do Ministério da Magia não ver a magia como um serviço. Os bruxos sabem que há uma demanda trouxa por magia, a qual não é uma “torta fixa” – uma premissa que vê a torta de recursos como fixa e nos leva a interpretar situações mais competitivas como puramente ganha-perde.

Imagine se os Weasleys, que sofriam financeiramente, pudessem fazer mágica por dinheiro. Eles poderiam sair da pobreza ao mesmo tempo que tornavam a vida dos trouxas mais fácil.

O Ministério, no entanto, não só proíbe tais trocas voluntárias; ainda proíbe o uso mágico da tecnologia trouxa. Desculpem: há carros voadores permitidos. Note que, contudo, o governo bruxo exime-se de tais restrições, como, por exemplo, o fato de os carros ministeriais poderem magicamente saltar à frente no tráfego.

Os protagonistas da saga lutam pelos direitos de várias criaturas, não obstante eles continuavam “amorosamente” desprezando os trouxas. A palavra trouxa é usada até mesmo por personagens simpaticamente como um palavrão. O livre comércio com os trouxas, em que ambas as partes poderiam revelar quem cada qual realmente é, criaria tolerância, bem como, sobretudo, cada lado poderia fornecer entre si bens e serviços úteis. O que temos, em vez disso, é um embargo econômico que os trouxas nem sequer conhecem. Em nosso mundo, embargos são projetados para isolar e punir um inimigo. Aparentemente, Voldemort e seus asseclas não são os únicos que veem trouxas como os inimigos dos bruxos.

Enquanto isso, Hogwarts ainda usa tochas para iluminação, e por motivos escolares não há acesso à Internet nem a telefones celulares, porque, alega-se, a força da magia interfere no funcionamento da tecnologia trouxa. Será incrível que os engenheiros trouxas e os professores de magia, trabalhando em conjunto, não seriam capazes de encontrar uma solução para esse problema?

Um sistema econômico livre e funcional exige o Estado de Direito, algo que falta ao mundo mágico. Além disso, não há separação de poderes, nenhuma constituição, tampouco supervisão civil, transparência e nenhum sinal de eleições. O devido processo legal é, aparentemente, um privilégio, porque o Ministro da Magia pode aparecer uma noite na sua porta e, quer queira quer, não jogá-lo na cadeia indefinidamente.

Talvez o mundo ficcional de Rowling seja um comentário satírico sobre sua experiência britânica. Se sim, por que seu herói junta-se ao Ministério que mantém a comunidade mágica tão empobrecida e vulnerável? É possível que ela não entenda nossa economia política bem o suficiente para imaginar uma melhor alternativa mágica?

Apesar de sua deficiência política e econômica, Rowling claramente quis promover a tolerância entre seus leitores, e isso ela conseguiu com grande sucesso. Retratando o livre mercado ela teria criado melhores circunstâncias para superar os preconceitos em suas novelas. Por outro lado, ainda é evidente que, por meio de Harry Potter e seus amigos, os leitores são encorajados a se levantarem contra as principais injustiças e ver com ceticismo o que os políticos e os meios de comunicação dizem.

Quando Voldemort retornou, a postura dos protagonistas tornou-se consistentemente mais inclinada em direção à liberdade. Rowling magistral e corretamente, pelo menos, representou um fenômeno político: como resposta à ameaça externa de Voldemort, o Ministério aumentou seus já imensos poderes e respondeu ao temor do autoritarismo com medidas autoritárias. As pessoas ao lado de Harry lutaram não só contra o bruxo das trevas, mas também contra seu próprio Ministério.

É aí que reside uma importante lição: não sejam espectadores. Poucos bruxos estavam dispostos a rebelarem quer para o Ministério da Magia, que contra Voldemort. Mesmo o Ministro da Magia estava relutante em admitir que o senhor das trevas havia retornado, porquanto isso teria perturbado seu estilo de vida confortável. Ademais, aqueles que fizeram vista grossa, afinal, não menos foram afetados pelo retorno de Voldemort.

A mensagem de Rowling é poderosa: atrevem-se a dar o primeiro passo e ajam antes que seja tarde demais.

No final, Harry Potter derrota Voldemort, apesar dos esforços do governo mágico para impedi-lo. Harry e seus amigos começaram um movimento de base, que cresceu em influência e conseguiu conquistar as forças do mal. Os alunos podem mudar o mundo – e não só na ficção. 

Após a derrota de Voldemort, o Ministério provavelmente retornou ao status quo ante, dando um passo no caminho do progresso e da prosperidade através de regulamentos inúteis. Sem embargo, se há estudantes mais ativos que, encorajados pelo exemplo de Harry Potter, atrevem-se a elevar suas vozes pelo livre mercado, bruxos e bruxas poderiam viver em harmonia com os trouxas como iguais, e ambos se beneficiariam do intercâmbio voluntário entre os seus mundos.

Quaisquer que sejam as desvantagens do universo potteriano, milhões de fãs de Rowling continuarão fantasiando sobre compartilhá-lo com Harry e seus amigos. Eu, no entanto, sinto-me muito mais confortável no meu quarto eletricamente iluminado, teclando no meu laptop e ouvindo música pela Internet.

Harry Potter é um mundo mágico, mas se podemos aprender com seus erros, o nosso pode ser mais ainda.

_____________________

¹ FOUNDATION FOR ECONOMIC EDUCATION (FEE). Abolish the Ministry of Magic. Disponível em: <https://fee.org/articles/abolish-the-ministry-of-magic/?utm_source=newsletter>. Acesso em: 18 jul. 2016.

Análise do Segundo Teaser de Animais Fantásticos e Onde Habitam


Análise do Segundo Trailer de Animais Fantásticos e onde Habitam

Neste domingo (10 de Abril) durante o MTV Movie Awards, foi apresentado ao público o mais novo teaser do filme, e caso você ainda não tenha visto (ou não se importa de assistir mais umas mil vezes), pode acessar o link para o vídeo legendado abaixo:
Animais Fantásticos e Onde Habitam – Trailer Teaser (leg) [HD]
Esclarecendo antes de tudo que essa história se passa em Nova York, 1926, ou seja 70 anos antes dos acontecimentos da série de Harry Potter.

Okay, vamos à analise, o vídeo já começa matando todo mundo do coração com aquele logo tão amado da Warner aparatando na tela, e uma trilha sonora que, particularmente, me deu arrepios em todas as 674.998 vezes que eu assisti.
A primeira cena mostra o Newt Scamander sentado no banco de um navio, provavelmente o que levou ele de Londres até Nova York; e temos uma narração de fundo com uma voz bem parecida à do Colin Farell que interpreta Percival Graves, um auror norte-americano, que nos leva a crer que seja deste, a voz – para todos os fins e o desenvolvimento da crítica, vamos assumir que seja. A próxima cena, ainda com o Newt no barco, nós vemos a paisagem de Nova York nos anos 20 (novamente, a história se passa em 1926), e a narração segue, logo após saem patas pequenas de dentro das vestes de Scamander, que parecem ser patinhas de Pelúcio, um dos animais que ele possui.

A seguir temos um ambiente fechado que lembra uma cabana ou as estufas de herbologia de hogwarts e há teorias de que seja uma cena dentro da maleta no Newt. Peço atenção especial para o livro sobre a cadeira do canto superior da cena, cuja capa é bem parecida à edição publicada de Animais Fantásticos e Onde Habitam (aquele vermelhinho que veio todo rabiscado pelo nosso querido trio), e para a presença do Jacob, que é um no-maj (estou bem ansiosa pela tradução desse novo termo, talvez Sem-Magí?), e um dos quatro principais personagens. Ainda na cena, a narração sobreposta de Graves segue com uma fala bem marcante, onde cita Hogwarts. Mas também nessa fala vemos a primeira divergência de fatos: Graves diz que Scamander foi expulso de Hogwarts por colocar uma vida humana em risco com suas criaturas, mas naquele mesmo livro vermelho de Animais Fantásticos e Onde Habitam é dito que Newt concluiu Hogwarts, não sabemos o motivo da alteração, então criem suas teorias. De qualquer forma, essa descrição me lembrou Hagrid que também foi expulso por causa de um animal.

Durante as falas do Gaves sobre a suposta expulsão de Newt vemos finalmente os quatro protagonistas juntos, a Porpentina “Tina” Goldstein na frente, Newt logo atrás e ao fundo temos o Jacob e a Queenie Goldstein, irmã de Tina, e as garrafas no canto dão a entender que eles estão entrando em um bar, um lugar escondido provavelmente de bruxos como o Caldeirão Furado. Seguida pela cena de algum tipo de cartório ou banco Troux… “No-Maj” onde Scamander parece assustado com alguma coisa bem atrás dele, façam mais teorias.
A próxima cena se passa na chegada do navio à Nova York, o mesmo do início, e pausem. Por favor. Graves acabou de citar Dumbledore e ainda que Newt era um aluno querido do nosso futuro diretor – Professor D. sabe escolher, só se afeiçoa pelos protagonistas…. Será que ele dava pontos para a Lufa-lufa nessa época? Fica o questionamento.

Como se já não bastasse esse tiro, vamos dar play e continuar, no que parece algo como a alfândega ou um setor para imigrantes e durante o “interrogatório” do fiscal a maleta mágica destrava, o que dá indícios do que pode ter acontecido no decorrer da história (Foi dito a tempos que algumas criaturas fogem da maleta, inclusive a cena final do primeiro trailer relembra isso), então o Newt entrega sua maleta para o fiscal, mas não sem antes mudar a trava para “Digno de Trouxas” (Sim, trouxas, hahaha). E é uma cena bem engraçada, pois o guarda pergunta a ele se há algo comestível ou vivo na maleta e ele nega ambos de uma forma meio hesitante, e quando o fiscal abre a maleta… BAM! Outro tiro. Alem dos pertences muito característicos de um explorador, como a bússola, a lupa, luvas de couro, um mapa, o binóculo, está lá, em destaque um cachecol da Lufa-lufa bem velho, mas definitivamente da Lufa-lufa (Por respeito a vocês não farei a piada da Lupa-lupa)

Continuando vemos uma correria na MaCUSA – Magical Congress of the United States of America – o Congresso Mágico dos EUA, o equivalente ao ministério da magia britânico ( Particularmente eu adorei essa pegada política, onde há um ministério em um país monárquico e um congresso em uma república), o motivo da correria nós não sabemos. No momento seguinte vemos a Tina com o Newt, que está olhando para o alto, creio que ainda na MaCUSA, parece que alguma coisa está para acontecer… Teorias por favor.

Pausem no jornal, vamos começar pelo nome sensacional: The New York Ghost, já começa com as referências, a matéria de destaque é “A Caça aos Bruxos se Intensifica” e algo sobre O risco de exposição dos bruxos, uma nota sobre um bruxo procurado “Alberto Macellarius a.k.a The Rat” um fabricante de varinhas e assassino, e nos abre para uma nova moeda: os Dragots, e o assassino está valendo 3.500, bem em baixo do Update Celestial (Horóscopo?), tem uma nota dizendo que a agencia federal de vigilância e obliviação de No-Maj bate recorde de multas, em outros lugares temos coisas sobre o medo que os bruxos estão sentindo da exposição, no canto há um gráfico de níveis de exposição da magia durante os anos 1913 à 1926 e ao lado da coluna de esportes tem uma nota com o que parece ser o nome de Gellert Grindelwald, e logo abaixo da matéria principal tem algo sobre o ministério da magia de Londres e algo sobre 1.000 Galeões… Enfim vou deixar uma imagem bem grande para vocês fuxicarem bastante que nem eu fiz

Easter Eggs Fantásticos e Onde Habitam

Na cena seguinte vemos o quarteto entrando em um beco com tijolinhos que se movem… Alguém notou uma referência? Vemos que a Tina está com o mesmo vestido da cena no bar, o que leva a crer que ou aquela porta deu no bar, ou eles usam o bar para acessar a porta. Esta cena vem seguida de trechos externos de uma Nova York dos anos 20, cheia de fumaça desses carros lindos, e é uma rua que foi montada para as gravações, eu fiquei apaixonada por cada mínimo detalhe desse cenário e cada detalhe do figurino das pessoas ao redor.

SHAW! A próxima cena mostra a entrada do que parece ser uma festa de gala e algo como uma campanha de eleição de um político chamado Shaw, o futuro da América. Ficou quase claro que este político (um futuro deputado, senador, presidente?), está apoiando o completo extermínio dos bruxos, isso explicaria porque ele está sendo tão apoiado e fazendo uma campanha tão grande.

Seguindo vemos o Jacob completamente admirado com o uso da magia que as irmãs fazem para arrumar a casa (acho que isso enfraquece as teorias que o Jacob possa ser um Bruxo Abortado, já que ele teria tido contato com magia antes disso), essa cena me trouxe o espírito dos primeiros acontecimentos de Harry Potter, onde a magia era boa, feliz, e divertida de volta, e eu adorei.

Começam cenas muito rápidas… De volta à festa de gala do Shaw: luzes explodindo… – Uma menina aparece, poderia ser a Modesty?- Logo em seguida temos o Percival Graves aparecendo, provavelmente essa é a parte onde ele faz o interrogatório para o Newt… E aí começa aquela música-tema maravilhosa que faz arrepiar até a sobrancelha em uma cena que parece ser um lugar subterrâneo com pilares grossos e um pássaro azul voando pela tela, seu nome não tem tradução mas segundo o Pottermore ele se chama Swooping Evil, e é a primeira criatura mágica à dar as caras. Baile do Shaw de novo: todas as luzes explodidas pessoas voando, seriam bruxos das trevas? Alguma criatura mágica fugitiva?

Cenas mais rápidas… Newt olhando assustado, Tina olhando assustada, um auror no bar do começo do trailer, e… UM PELÚCIO. Um pelúcio muito fofo, roubando a bolsa de alguma senhora rica provavelmente em busca de algo brilhante. Continuando: Queenie, um bando de policiais mirando para o alto, Newt e Tina correndo aparentemente sozinhos novamente em um lugar que parece subterrâneo, um flash com alguém disparando um feitiço, Newt aparatando no ar. Graves aparece de novo só para deixar as coisas mais tensas, do que ele está falando? De alguma criatura? Em seguida a Seraphina, presidente da MaCUSA com dois possíveis aurores ao fundo. Aí vem essa animação deliciosa formando o logo, com a música, ninguém aguenta mais tantos tiros, acabou? Não. Newt levanta do nada e simplesmente entra na maleta chamado o Jacob, que estava tomando um chazinho na paz e lendo ‘Cassandra e seu gato Gustave’, para ir com ele – reforçando aquela teoria de que na cena das ervas, eles estavam lá.

Agora acabou. Beijos e até a próxima!

Referências:
Warner Bros. Pictures Brasil

Pottermore

Capitão América

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud