Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.
| Tiago Amorim |

Os relacionamentos de “Batman: A piada mortal”

Esse artigo tem spoilers.

Advertisement

Todos estavam ansiosos e esperançosos com a estreia da animação, a maioria comprou ingresso para assistir no cinema, pois seria uma oportunidade única de ver um dos quadrinhos mais conhecidos e respeitados do personagem nas telonas. Assim como todos os fãs, eu fui prestigiar a animação indo ao cinema, a sala estava lotada e todos pareciam muito ansiosos para assistir o que seria a melhor animação do ano. 

Batman: A piada mortal se tornou um divisor de águas muito grande, principalmente por ter vazado na internet e especialmente uma cena bastante “polêmica” que agradou uns e deu até nojo em outros. Enquanto assistia, eu parei de ver aquilo como uma adaptação e tratei como uma animação qualquer com os personagens envolvidos, logo percebi que tinha sim algo ao fundo, percebi que A piada mortal poderia muito bem ter seu título trocado para “O relacionamento mortal”, ainda que a animação engloba várias situações de relacionamentos, sejam elas entre o Batman e a Batgirl, a Barbara e o Jim e outros. Decidi então fazer uma análise dos relacionamentos e tentar achar um motivo para eles acontecerem, então irei citá-los em ordem de aparição para ficar mais fácil de vocês lembrarem.

O primeiro relacionamento que percebi foi o da Barbara com seu melhor amigo, ele provavelmente a conhece de longa data e parece ser uma pessoa muito preocupada com a vida da personagem, em diversas cenas ele está tentando achar um namorado para sua amiga, que em todas as vezes usa a desculpa de que já tem alguém. Tomada de inseguranças e incertezas, Barbara sabe que pode sempre contar com o seu amigo que sempre sabe o que dizer, mesmo quando ela está cansada e estressada. O impacto que um amigo pode fazer em nossas vidas é muito grande, você sempre vai precisar de alguém que te ouça e que te ajude, esse é o relacionamento entre os dois.

O segundo é um relacionamento de “figurantes”. Logo quando sai de um restaurante, Barbara ouve um casal discutindo e o homem está terminando o relacionamento de forma muito rude. Ele fala em voz alta a seguinte frase: “Eu preciso de espaço”, e isso entra na cabeça da Barbara como um reflexo do Batman, pois logo cedo ela teve uma conversa com seu amigo e ele disse que o rapaz que ela está se envolvendo (Bruce) talvez só queira espaço, em coisa de minutos a personagem vai até o casal, pega o homem e joga em um gramado do restaurante. No final ela diz: “Pronto, espaço”. Esse casal foi a representação do relacionamento da Barbara com o Bruce, ele precisa de espaço e ela não consegue entender isso. 

O terceiro é o relacionamento baseado na síndrome de Estocolmo e na insanidade de Paris Franz com a Batgirl. Antes de tudo, síndrome de Estocolmo é um estado psicológico em que quando a pessoa é submetida a intimidações ou até mesmo agressões, ela acaba criando laços afetivos com seu agressor. Já não preciso dizer muita coisa, está claro que o Paris sofre dessa síndrome e isso fica principalmente explícito quando ele começa a mandar mensagens de vídeo para a Batgirl encontrá-lo. Paris foi muito importante para a personagem entender que ela não teria tanto controle de situações, e inclusive a cena em que ela esfola o Paris de socos e só para quando percebe que o sangue dele está em suas mãos, com isso a Batgirl viu que como o Batman falou, ela estava na beira do precipício.

O quarto relacionamento é o polêmico, esquisito e improvável, da Batgirl com o Batman. Logo quando a animação vazou na internet, vários gifs e vídeos da cena de sexo entre os dois vazaram e foi assim que a internet ficou louca, uns adorando e outros com nojo de tal coisa. Ao meu ver, isso não mudou nada na trama, como a própria Batgirl disse: “Foi só sexo”. A primeira parte do filme foi a confusão de Barbara com seus sentimentos sobre Bruce e como ela iria conseguir trabalhar eles de forma em que o personagem não descobrisse e foi na primeira “briga” deles, em que o Batman deixa bem claro que não quer ela envolvida no caso do Paris. A cena em que ela entrega o manto de Batgirl foi um marco desse relacionamento, pois foi ali que ela entendeu que ele se importava muito com ela e foi sim um erro ter tido relações sexuais com a filha de um dos seus melhores amigos.

O quinto é o relacionamento do Jim com o Batman. Não tem o que falar, todos nós fãs sabemos que o Jim Gordon é um dos melhores amigos do homem morcego e a relação dos dois é algo de longa data. Piada mortal deixa bem claro que o Batman se importa demais com o Jim e isso é um fato, o Coringa percebeu isso e tentou usá-lo contra seu inimigo. Jim é o irmão que o Batman nunca teve, Jim é aquele amigo que a gente confia e faz de tudo para ver a pessoa segura e bem.

Temos vários tipos de relacionamentos na animação e isso foi algo que percebi depois de assistir novamente. Se pararmos para pensar, A piada mortal realmente só foi uma adaptação dos 30 minutos para o final, porém a primeira parte deixa mensagens que jamais iriamos perceber se não focássemos nelas. Eu simplesmente adorei as abordagens e o jeito que fizeram, tanto os traços magníficos quanto o enredo maravilhoso. Se você tem interesse em assistir mas está com um pé atrás por causa da tal cena, não pense duas vezes, vale muito a pena e te digo que a cena não dura coisa de 2 minutos. Batman: A piada mortal é muito mais do que uma adaptação.

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud