Grammy 2019: A noite da celebração feminina

| Tiago Amorim |


A maior premiação da música nunca teve tanto destaque feminino como ocorreu na sua última edição realizada ontem (10) em Los Angeles. As grandes estrelas da noite foram as mulheres. Mulheres dos mais diferentes gêneros e estilos, o que foi uma ótima maneira da premiação se desculpar após a infeliz declaração de Neil Portnow, presidente do Grammy, na edição de 2018.
Acontece que, após a cerimônia do ano passado, Neil quando questionado sobre a falta de mulheres indicadas nas categorias principais e não vencendo as categorias de nincho disse que elas “precisavam melhorar”, o que resultou uma grande revolta online entre os artistas (como P!nk e Charli XCX), fãs e telespectadores. Além disso, teve o caso de Lorde que era a única mulher nomeada a “Álbum do Ano” (o prêmio mais importante da cerimônia) e que, diferente de todos os seus colegas (homens) indicados na mesma categoria não foi convidada a se apresentar durante a exibição da cerimônia.

Felizmente, parece que após as mudanças de regras, ingressão de novos membros votantes e expansão de vagas para os indicados nas principais categorias mostraram que essa polêmica e injustiça ficou no passado – pelo menos no que se trata de machismo -.

dzfwlzqxqaersnk-3514287-9670632
Alicia Keys: Ganhadora de 15 Grammys e apresentadora da edição




DESTAQUES

Kacey Musgraves é atualmente um dos maiores nomes do Country, e ontem se consolidou ainda mais levando 4 Grammys para casa, incluindo Álbum do Ano por “Golden Hour” saindo como a maior vitoriosa da noite.

Brandi Carlie é uma cantora de Folk que embora essa tenha sido sua primeira grande exposição ao mainstream já era muito respeitada dentro de seu nicho, fazendo as duas 3 vitórias comprovarem isso.

Cardi B, uma das maiores revelações do hip hop dessa década levou apenas 1 gramofone, que foi de Melhor Álbum de Rap por seu primeiro trabalho “Invasion of Privacy“. Porém, tornou-se um destaque dentro do contexto da cerimônia pois foi a primeira mulher a ganhar nesta categoria em toda história de premiação. Conquista mais do que merecida, já que seu projeto foi um sucesso de crítica e público.

Lady Gaga, que dispensa qualquer apresentação a esta altura do campeonato, está ganhando tudo nessa temporada de premiações por causa de seu hit “Shallow” escrita para a trilha sonora de “Nasce Uma Estrela” onde a mesma atua e está concorrendo ao Oscar  (tanto pela música, tanto pela atuação). No Grammy não era para ser diferente. A nova iorquina teve 3 vitórias na última noite, 2 delas por Shallow em Melhor Música Pop por uma Dupla ou Grupo (nesse caso, Bradley Cooper recebendo o prêmio também) e Melhor Música Escrita Para Um Filme. Seu terceiro prêmio foi por “Joanne (Where Do You Think You’re Goin’?) (Piano Version)” single lançado em Janeiro de 2018 qual não tinha pretensão nenhuma de ser um sucesso, era apenas em homenagem a sua tia que veio a falecer de lúpus. O que fez com que a vitória nessa categoria fosse, a maior surpresa dessa edição.

61st-annual-grammy-awards-press-room-los-angeles-usa-10-feb-2019-7983133
Lady Gaga e seus 3 troféus



Childish Gambino, foi o homem que mais se conseguiu destacar em uma noite de exaltação feminina. Mesmo não comparecendo ao evento, o cantor de R&B e rapper levou 4 prêmios para casa graças ao seu hit viral “This Is America“. Dentre elas: Melhor Vídeo, Gravação do Ano e Música do Ano. E nesta última categoria, ele fez história. Já que sua música é o primeiro rap a ganhar a categoria de composição.

APRESENTAÇÕES

dolly-parton-2019-grammys-tribute-4452358-4816727
Dolly Patron ao centro junto com os artistas de seu tributo


Não sendo diferente das vitórias da edição, as performances foram em grande maioria realizadas por mulheres. Inclusive, nas homenagens às homenageadas da noite: Diana Ross (que se apresentou em plena noite de seu aniversário) e Dolly Parton (que recebeu um tributo com participação de nomes como Katy Perry e Miley Cyrus).

Ainda dentro do engajamento feminino, Janelle Monae foi uma das melhores da noite ao apresentar “Make Me Feel” mostrando ainda mais que é uma artista completa. Também não se pode deixar passar Dua Lipa junto com St. Vicent, que mostraram uma ótima química no palco apesar do encontro inusitado.

Entretanto, a melhor performance da noite, (que foi logo a primeira) também seguiu uma corrente politica de engajamento e inclusão. No entanto, para as questões e celebração da cultura latina. Camila Cabello, Ricky Martin e J Balvin exibiram um show perfeito, alegre e colorido ao apresentarem hits como “Havana” e “Mi Gente

camila-cabello-grammys-5755190-4065799
O porto-riquenho Ricky Martin, a cubana Camila Cabello e o colombiano J Balvin


Parece que finalmente as maiores premiações da indústria do entretenimento estão incluindo, refletindo, e celebrando a diversidade que há nos seus consumidores e produtores. A arte de maneira geral, existe para isso. E mostrar que ela não é só feita e consumida por homens brancos de cultura europeia é um dos mais belos avanços.

Para conferir a lista completa de vencedores e apresentações como de Shawn Mendes, Alicia Keys, Travis Scott clique aqui.

Ultimas Notícias

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud