My Hero Academia: Sobre igualdade e ensinar um peixe a subir em árvores

| Romero Nascimento | , ,

Nem todos são criados iguais. A frase, citada pelo personagem Izuku Midoriya, protagonista do anime My Hero Academia (Boku no Hero Academia) contradiz a famosa citação do Pai Fundador americano Thomas Jefferson, que afirmou que “todos os homens são criados iguais”. Embora as duas frases sejam usadas em contextos fundamentalmente distintos, a citação no anime pode nos convidar a uma reflexão.

Em My Hero Academia, até mais do que na vida real, fica claro que nem todos são criados iguais, em ao menos um aspecto: no potencial das habilidades de cada um. Em um mundo em que a espécie humana passou a desenvolver Individualidades, habilidades marcantes e praticamente únicas a cada ser, My Hero Academia explora bem a ideia de que, como seres humanos individuais, nós todos temos habilidades e potenciais distintos.

Nas últimas décadas, tem se popularizado o pensamento de que a igualdade total, a ponto de ser confundida com uniformidade, deve ser um ideal a ser perseguido a qualquer custo como motivação última da política e da sociedade. My Hero Academia nos conduz na contramão desse pensamento, enfatizando o quanto aproveitar o máximo do da individualidade de cada ser humano não só é benéfico para o desenvolvimento da sociedade quanto para o bem-estar de cada pessoa.

Anuncio Publicitário
thumb-1920-865211-2168161-1227444

A sociedade de My Hero Academia

Kohei Horikoshi, o criador de My Hero Academia, idealiza uma sociedade em que as diferenças individuais são, em geral, bem claras. Ele cria isso através das Individualidades, que, como dissemos anteriormente, variam drasticamente de pessoa pra pessoa.

Personagens como Shoto Todoroki, por exemplo, que possui uma Individualidade poderosa que o torna basicamente um cruzamento entre o Príncipe Zuko de Avatar e a Elsa de Frozen, convivem com outros como a mãe de Midoriya, que consegue apenas atrair pequenos objetos para perto de si.

Dessa forma, a sociedade de My Hero Academia não se dá ao luxo de fingir que todos têm a mesma capacidade para certas áreas do conhecimento ou para perseguir certas carreiras. A grande questão que é feita e é respondida pelo próprio mangá é: como lidar com as diferenças individuais?

Anuncio Publicitário

Com essa pergunta, a sociedade desse universo é posta diante de uma encruzilhada. O que é mais efetivo: fazer com que cada membro da sociedade se sinta igual uns aos outros ou permitir que aqueles com mais poder e potencial sejam os melhores em sua área?

Logo de cara, a resposta escolhida pelo autor é óbvia. Com toda a ênfase e o status que a posição de “Herói Número 1” traz e o fato de ela ser almejada por tantos personagens diferentes na série nos mostra que, na sociedade de My Hero Academia, se você não busca ser o melhor que você pode ser, você vai ser deixado para trás.

maxresdefault-3553989-4695577

E embora isso possa parecer algo um tanto quanto cruel, existem muito mais nuances para essa resposta do que à primeira vista. E analisá-la pode nos levar a uma compreensão de uma sociedade que espelha a nossa de maneira tão fiel.

Anuncio Publicitário

As Individualidades tornam as diferenças entre as pessoas muito mais óbvias no universo de My Hero Academia, mas mesmo no nosso mundo, já se sabe muito bem que as pessoas têm capacidades diferentes. A forma como o cérebro de cada pessoa é ajuda-os a aprender coisas diferentes.

Até por isso, já há muito tempo abandonou-se a ideia de Quociente de Inteligência como medida universal para o potencial de uma pessoa, e hoje adota-se a teoria das Inteligências Múltiplas, mostrando que as pessoas têm potencial diverso.

A sociedade de My Hero Academia encontrou uma resposta muito honesta a esse potencial aumentado de cada pessoa. Pessoas que são boas em uma atividade particular devem focar em desenvolver-se nessa habilidade, enquanto pessoas que não tem esse potencial, devem permitir que quem é cuide desses problemas.

Anuncio Publicitário

Isso permite que cada indivíduo foque em buscar uma perfeição individual, sem a necessidade de comparar-se com especialistas em outras áreas, o que naturalmente gera uma ideia de sociedade “caixa de ferramentas”, onde existem membros mais adequados para lidar com diversos tipos de problemas que enfrentamos.

Obviamente, já que a série é chamada My Hero Academia, existe uma ênfase maior no trabalho dos heróis, que enfrentam certos desafios em suas carreiras que são diferentes, mas isso não quer dizer que uma tenha mais valor que a outra.

Não existe, na sociedade de My Hero Academia, uma ideia geral de que os heróis são seres inerentemente mais preciosos e valiosos que os outros seres humanos e que eles são um ideal universal a ser perseguido. Nem todos querem e nem todos podem ser heróis.

Anuncio Publicitário

Isso pode ser obviamente observado no primeiro diálogo entre All Might e Midoriya, quando o primeiro diz que é uma loucura que o jovem tente ser um herói sem uma individualidade. Ele não afirma que sua vida é inútil ou simplesmente diz para ele desistir de seus sonhos, mas o encoraja a ser útil para a sociedade de outras maneiras, como se juntando à força policial por exemplo.

O fato de que as habilidades e o potencial de cada um são aproveitados nessa sociedade diz muito sobre o valor que ela dá a cada ser humano. Se cada um é livre para ser o melhor que pode ser em algo, todos tem o mesmo valor, independente de serem forçados a terem resultados iguais, e a fala de All Might demonstra isso.

A teimosia de Midoriya é o que ajuda a história a seguir adiante, mas uma sociedade bem ajustada e funcional não precisa de pessoas constantemente quebrando padrões como ele. Na verdade, uma sociedade bem ajustada e funcional abre espaço para muitos indivíduos perseguirem sonhos mais difíceis ou distantes, mas essa não precisa e não pode ser a regra.

Anuncio Publicitário

Voltando ao assunto anterior, o impacto e a importância dos heróis na sociedade de My Hero Academia nos permite ver os benefícios de uma sociedade guiada pelos ideais da melhor individual e do foco no potencial de cada um. De início, é possível falar de UA numa forma de entender o impacto dessa mentalidade no sistema educacional.

UA e Educação em My Hero Academia

O Professor Aizawa, responsável pela classe de Midoriya na renomada academia de heróis UA é provavelmente um dos personagens que leva essa filosofia mais longe em My Hero Academia.

Logo na primeira aula, o professor propõe um teste de habilidades físicas onde os alunos estão livres para usar as suas individualidades da forma como desejarem. Para Aizawa, o sistema educacional tradicional é ineficaz em permitir que aqueles futuros heróis se desenvolvam ao máximo e ele acredita que para isso, eles precisam se acostumar a usar aquilo que os dá vantagem sobre as outras pessoas.

Anuncio Publicitário
boku-no-hero-academia-aizawa-4343787-6609123

Mesmo para uma sociedade que já funciona baseado nisso, os métodos de Aizawa podem ser considerados pouco ortodoxos por alguns, mas não se pode duvidar da sua eficácia. O professor, que já chegou a expulsar uma classe inteira de alunos porque eles não estavam no padrão necessário a seu ver, afirma com todas as letras que expulsará o aluno com o pior desempenho nesse primeiro teste.

Uraraka, uma das personagens principais e amiga de Midoriya, contesta a justiça desse método, já que essa é a primeira aula deles e a primeira vez que vão colocar os seus poderes a prova. Aizawa não mede palavras e diz que esse método pode não ser justo, mas que o mundo é cheio de injustiça e que é responsabilidade do herói lutar contra ela.

Para ele, se alguém não está preparado para usar o seu potencial ao máximo para lutar contra as injustiças do mundo, esse alguém não serve para ser herói. Embora essa profissão específica exija um padrão quase cruel, existe muita lógica na filosofia desse professor.

Anuncio Publicitário

My Hero Academia nos demonstra várias vezes que se você não é apto a determinada tarefa, é melhor não atrapalhar do que tentar ajudar. Um grande exemplo disso é o próprio Bakugou, que tenta enfrentar o vilão Slime em um dos primeiros episódios e acaba agravando a situação. Ele fez aquilo sem a preparação adequada, ignorando o fato de que outros heróis já estavam esperando alguém mais adequado para lidar com isso.

Aizawa não é, no entanto, alguém fatalista que não vê valor nas outras pessoas. A sua luta por um ideal de que cada pessoa deve chegar ao máximo do potencial não se baseia na filosofia de que algumas pessoas se importam mais do que as outras, pelo contrário. Ele quer que cada um dê o melhor de si para que todas as pessoas possam usufruir dos benefícios de uma sociedade ajustada.

Albert Einstein certa vez afirmou que todos os homens são gênios, mas se você julga um peixe por sua habilidade de escalar uma árvore, ele passará a vida acreditando ser estúpido. Essa frase é perfeitamente refletida no mundo de My Hero Academia.

Anuncio Publicitário

Desse mangá, é possível extrair uma valiosa lição para nossa sociedade e principalmente para nossas vidas. Por que perder tempo forçando todos a serem iguais? Cada homem deve ser livre para perseguir o seu verdadeiro potencial sem que seu valor como indivíduo seja menosprezado por causa disso.

Nem todos os homens são criados iguais em potencial. My Hero Academia nos ensina, no entanto, que todos os homens são criados iguais em valor. Sem a contribuição individual de cada um como membro da sociedade, teríamos um mundo disfuncional. E a tentativa de desvalorizar a contribuição de um ou outro e de exterminar a diferença que torna cada um capaz de brilhar é um atentado contra o potencial do ser humano enquanto espécie e enquanto indivíduo.

Sobre My Hero Academia

Boku no Hero Academia (My Hero Academia) é um mangá de super-heróis escrito e ilustrado pelo mangaka Kohei Horikoshi. O mangá, publicado pela Shonen Jump desde julho de 2014 e conta atualmente com 24 volumes encadernados. Além disso, o mangá foi adaptado em um anime que está em sua quarta temporada, além de dois filmes.

Anuncio Publicitário
3a64a0bedf6a3ce0e0e4b4a5ea1657a9-3422531-8205379

O mangá conta a história de Izuku Midoriya, um garoto que nasceu sem um super-poder (chamado de individualidade) em um mundo onde eles são comuns. Apesar disso, o garoto sonha em ser um herói. Ele acaba sendo recrutado por All Might, o herói número 1, que compartilha sua individualidade com Izuku após reconhecer o seu potencial e o ajuda a realizar o seu sonho de se tornar um herói o indicando para uma escola de super-heróis. Lembrando que o anime já teve sua quinta temporada confirmada.

Você pode assistir as temporadas disponíveis de My Hero Academia no Crunchyroll. Para mais novidades sobre a série, fique atento ao nosso site redes sociais. E não esqueça de seguir o 1 Real no Twitter e Instagram!

Anuncio Publicitário

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud