• Início
  • Cinema
  • História de Um Casamento – Não há nada mais humano do que se adaptar | Review

História de Um Casamento – Não há nada mais humano do que se adaptar | Review

O novo longa da Netflix dirigido por Noah Baumbach é a aposta mais forte do serviço de streaming para os oscars, já que vem ganhando espaço e popularidade em outras premiações no momento. O filme evidencia um processo de divórcio onde o casal, Charlie (Adam Driver) e Nicole (Scarlett Johansson), precisa se adaptar a toda essa nova idéia de separação e cuidar de seu filho pequeno.

O longa abre com uma atmosfera otimista para nos apresentar aos personagens e conseguirmos compreender os bons momentos que já passaram. Digamos que a cena de abertura tem o mesmo intuito da carta que escreveram um para o outro, assim recordando como já se sentiram uma vez. Com a narrativa já começando a ser contada a partir do divórcio decidido, todo esse ar otimista da primeira cena é cortado para algo mais frio quando somos trazidos para o momento da qual a história se passa.

A atmosfera apesar de mudar rapidamente, se torna totalmente crível, trabalhando por toda a duração do longa com algo mais sensorial. Os sentimentos dos personagens são muito mais evidenciados pela sensoralidade do que por palavras, porém, palavras não deixam de ser importantes, o que deixa tudo mais humano e sensível.

Um exemplo de diálogo memorável é a cena da discussão de Nicole com Charlie, onde são levados de maneira crescente até eclodirem em palavras desnecessárias um para o outro, algo que infelizmente é humanamente comum.

marriagestory3-1-9596493-2768057
Cena da discussão

Todos esses momentos sensoriais e de diálogos são construídos perfeitamente com uma atmosfera “Desconfortavelmente confortável”, onde sabemos que há algo a ser dito, há algo sendo sentido, mas nada sendo expressado. O tom pastel da palheta de cores dá uma sensação ainda mais crível e cotidiana para a narrativa, que é pautada exatamente em uma realidade cotidiana.

Esse é um longa que depende de seu elenco principal para ser carregado. Com isso, claramente podemos evidenciar que toda a atmosfera não é apenas meticulosamente guiada por Noah, mas também pela dupla protagonista Adam Driver e Scarlett Johansson.

Aqui não há um se sobressaindo ao outro, mesmo que o longa diminua o tempo de tela de Scarlett mais para o terceiro ato as duas atuações são excepcionais não apenas por si só, mas como um conjunto, as duas se completam com uma sinergia contagiante e encantadora, que nos faz torcer pelo casal até mesmo quando parece não ter esperança.

Scarlett como Nicole e Adam como Charlie

A sutileza tem atenção especial quando se trata de uma abordagem sensorial das situações, algo que é carregado com excelência pela dupla principal, trazendo do mais sutil até o mais explosivo que seus personagens exigem.

A montagem de certa forma nos induz a torcer pelo casal, mas também aceitar a situação em que estão, nos colocando em planos mais frios quando contracenam em momentos burocráticos, e mais sensoriais e sensíveis quando contracenam a sós. É claro, cada um desses elementos está presente em todos esses momentos, mas é evidente o destaque de atmosfera em cada situação.

506aab7d-ef8b-4846-8833-dd8bf9b342ed-8897634-3590442
Laura Dern que também apresenta uma excelente atuação junto a Scarlett.

A falha aqui estaria na diminuição do tempo de tela de Scarlett Johansson no terceiro ato, o longa é proposto como o processo de ambos os personagens, e é evidente que Adam tem mais tempo de tela a partir de um certo tempo, mas isso ainda sim não diminui a complexidade e profundidade já construídas e abordadas pela personagem de Scarlett, que se mantém tão consistente quanto o personagem de Driver.

Apesar do tom frio em boa parte do longa, ele mantém um ritmo cheio de energia, com cortes que alternam totalmente de atmosfera em contraste com o estado de um personagem em relação ao outro, com momentos que evocam até uma trágica comédia que enriquece muito a trama do filme, nos fazendo gargalhar, se emocionar e se sentir reconfortados.

É isso que História de Um Casamento faz, nos reconforta e nos destrói, nos faz rir e nos faz chorar, assim como a vida. Um filme que transborda humanidade até em seus momentos mais frios. Mostrando que as vezes o melhor não é torcer para que o bem passado volte, mas sim trabalhar no presente para que sua agonia atual se adapte em um novo bem.

No fim, História de Um Casamento é um maduro estudo humano sobre adaptação e suas relações, guiando isso junto a seu excepcional elenco principal com atuações super orgânicas e relacionáveis, com uma montagem cativante e um tom cotidiano, que leva tudo a ser o mais humanamente crível e tocante possível.

Ótimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ultimas Notícias

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud