Apóstolo – A sanidade religiosa posta a prova | Review

Apóstolo, lançado em 2018 no serviço de streaming Netflix, chegou após um marketing onde era vendido como um filme de terror e horror, algo muito semelhante ao que vimos em A Bruxa, porém o que recebemos é algo um tanto diferente.

É claro que não é bom assistir a uma obra com expectativas próprias sobre o que você gostaria que fosse, mas quando isso acontece por culpa da própria produção e distribuição do filme, é algo mais complicado a se evitar.

O longa tem claros elementos de terror, porém não é sua atmosfera principal. Na verdade, o filme caminha por vários gêneros de maneira irregular o que acaba deixando sua narrativa não muito orgânica e desconfortável de acompanhar, como por exemplo seu primeiro ato que é arrastado e focado em um suspense que quase não progride tendo pequenas pitadas de terror em meio a isso, para depois ir direto ao horror, o que faz parecer que você está assistindo a um outro episódio de uma série.

Essa irregularidade poderia ser melhor digerida se o roteiro não pecasse em sua construção e desenvolvimento de personagens. O protagonista Thomas interpretado por Dan Stevens é sem sal e não nos cativa, o ator entrega a atuação sem muitas camadas somente com o que o roteiro pede, o que seria basicamente um homem amargurado com religião e com o objetivo de salvar sua irmã. O longa propõe também uma profundidade sobre a ilha e a comunidade que vive lá, mas peca nesse aspecto com seu primeiro ato arrastado e conclusão frenética, e no fim, acabamos não se importando com quase nenhum personagem, e as excessões são fruto de uma empatia por vermos os mesmos passando por brutalidades e afins, sendo apenas um fruto do instinto humano.

Protagonista Thomas e o Profeta da comunidade

O filme funciona também como uma metáfora de histórias bíblicas das quais não irei entrar em detalhes, e também presta críticas sobre obsessão religiosa e a corrupção do ser humano, e faz isso de maneira eficaz até certo ponto, pois não sairia tão prejudicado por consequência de todos os aspectos que citei.

A violência gráfica é bem horrorizante e desconfortável de se assistir assim como deve ser, os aspectos técnicos são bem positivos e fazem você se inserir naquele embiente, como a ambientação da época e da ilha sendo muito bem executadas, takes inteligentes de câmera fazendo ligação com simbolismos do próprio longa, e os efeitos gráficos bem palpáveis. A falha pra mim aqui está na trilha sonora, que é boa a primeira visa, mas usada de maneira extrapolada pelo diretor o que acaba acabando com momentos que poderiam ser bem mais sufocanes e desconfortáveis.

Apóstolo – a sanidade religiosa posta a prova | review
Só esse take já da um nervosinho, né?

No fim, Apóstolo acaba derrapando em muito do que propõe, com críticas, metáforas, gêneros diferentes, tudo flutuando de maneira não orgânica, porém com algumas ressalvas que possam valer seu tempo para assistir e refletir sobre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ultimas Notícias

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud