A última Aventura

Hora de Aventura foi um dos desenhos que fez sucesso e marcou história no Cartoon Network. Confesso que fazer a análise deste programa não foi fácil, apesar de ser um fã assíduo da série, eu fiquei perdido ao final.

Advertisement

Vamos por partes. Este artigo contém spoilers sobre a série. Não muitos.

Primeiro, a abertura final mudou. Ela se passa com dois personagens diferentes: Shermy e Pup.

Shermy e Pup

Shermy é um personagem comum e Pup é uma princesa (Pup Princess-Princesa Filhote em tradução literal) capaz de teleportar coisas com seu umbigo, lógico, em um  cenário pós apocalíptico, MUITAS mudanças que caberiam em dois parágrafos só para detalha-las e muito mais para explicar assim, do nada, então vou tentar resumir a história como um todo da melhor forma possível.

Shermy e Pup são grandes amigas, talvez sejam reencarnações de Finn e Jake, visto que Finn já era uma reencarnação de outra garota (Shoko) porém em todas as sua vidas e versões alternativas (com exceção de Fionna) Finn não tem o braço direito. Isso é uma pergunta que vamos demorar a ter respostas.

Correndo na história, até a quinta temporada a série é um besteirol sem pé nem cabeça, é um desenho só para encher linguiça, com poucos momentos de lucidez a partir da quarta temporada. O esforço para se manter assistindo aos episódios sem ligação com a história, como “Wizards”, episódio onde Finn e Jake aprendem magia e nunca usaram na série, ou “Amor Lento”, onde Finn e Jake ajudam uma lesma a arranjar uma namorada, “Little Friend” quando o chapéu de Finn cria vida, e vários outros que tiravam o brilho da série (desculpe Pendetlon, mas a série deslanchou com a sua saída).

Em 2014, Pendetlon Ward anunciou que a pressão era muito grande e ele estava se afastando da produção de Hora de Aventura, afirmando que nunca mais iria criar outra série, pois segundo ele, criar uma série de TV é um pesadelo.

Com Adam Muto assumindo a direção, Finn passou a ser mais honesto e responsável, além de ser nítida a diferença nos personagens, se tornando um série com um ar mais sério e passando a ter uma trama mais elaborada. Claro que os episódios continuam com humor e aventura e as histórias sem nexo continuam lá, mas em menor quantidade (apenas 4 na sexta temporada de um total de 43 episódios) e com finais relacionados com a história. Resumindo: Alívios cômicos.

Como é impossível resumir 283 episódios divididos em 10 temporadas, cada temporada sendo um arco (sem contar os minisódios, curtas e especiais) eu vou voltar ao final e contar o que achei do encerramento da série.

O episódio começa com Shermy e Pup se divertindo pelo que sobrou de Ooo, quando avistam um dos Guardiões Chiclete e decidem tentar roubar ele novamente. Montando uma armadilha simples, amarrando uma corda na passagem do Guardião, o plano falha, porém ele acaba desenterrando um braço mecânico: O braço de Finn.

Braço mecânico de Finn

Interessados em saber do que se trata, elas retornam para sua casa, que por curiosidade se trata da casa de Marceline (Primeira ponta solta!). Após algumas pesquisas, elas decidem ir atrás do Rei de Ooo, o qual Shermy afirma ser uma lenda, porém, Pup afirma saber onde ele reside.

Casa de Marceline, agora residência de Shermy e Pup

Chegando na casa do rei, que mora numa montanha aparentemente inabitada, é revelado que Beemo é o Rei de Ooo. Ele usa uma barba postiça e uma coroa que parece ser a da Princesa Jujuba.

Beemo, The King Of Ooo. Essa antena é o radar dele.

Shermy e Pup quebram as coisas por acidente na casa de Beemo, vendo isso, Beemo se chateia e os convida a quebrar as coisas fora de sua casa, é quando Pup lhe entrega o braço de Finn e pergunta se ele sabe algo. Maravilhado com o achado, Beemo não consegue lembrar o nome de Finn, chamando-o de Fred, mas forçando mais um pouco sua memória o chama de Phil.

É então que a verdadeira história sobre a Guerra das Gomas começa.

Dividido em 4 partes principais, o episódio se desenrola em pouco mais de 44 minutos, como ainda é recente, não irei revelar mais partes para não estragar a surpresa do final, porém, ele não foi capaz de suprir minhas expectativas, trazendo mais dúvidas do que respostas, em contrapartida, o emocional, desenvolvimento e encerramento da série com a música tema sendo cantada ao final do episódio me surpreenderam um pouco por terem conseguido fazer eu me importar um pouco mais com a série.

Eu esperava algo tipo “Heroes” como fizeram com Apenas Um Show, mas “Come Along With Me” trouxe uma carga emocional em um determinado acontecimento no episódio final, que até então eu não sentia pela série. Eu imaginei “acabou, agora vai voltar a ser o que era” mas não aconteceu. Não foi o suficiente para trazer lágrimas como a despedida de Apenas Um Show, mas fez eu me sentir um pouco triste por não ter dado a devida atenção à série.

Em minha opinião, Hora de Aventura é uma série que consegue ser única e massante, fazendo com que você se pergunte o quão retardado você é por assistir aquela coisa, com plots bastante interessantes (MUITOS PLOTS), músicas maravilhosas e divertidas, algumas tristes (ouça “Lembrar de Você” abaixo), reviravoltas surpreendentes e mesmo os fãs mais atentos e assíduos são pegos de surpresa em diversos pontos durante o desenrolar da trama. Não recomendo maratonar a série de uma vez, já que como eu disse, ela tem um início massante, com muitas histórias desconexas e sem peso para o universo de HDA, porém necessárias, já que você vai precisar ser um Capitão América para entender tantas referências, tanto externas quanto internas.

Também recomendo assistir em inglês, já que a série sofreu muita censura em diversos episódios e inclusive em title cards (as artes que são capas dos episódios) que tiveram suas artes trocadas diversas vezes pela CN brasileira, fazendo com que piadas meio “sujas” perdessem o sentido e algumas cenas importantes fossem cortadas ou reeditadas durante os episódios (um foi inclusive banido da América Latina, por ser “sombrio” e inapropriado demais. É o quinto episódio da quinta temporada, intitulado “All the Little People“. Ele nunca foi exibido na CN brasileira, porém acabou indo ao ar no SBT).

Criado por Pendetlon Ward, a série teve seu primeiro episódio lançado em 05 de abril de 2010, se tornando famosa em pouco tempo, sendo indicada a diversas premiações  importantes, como Annie Award, na categoria “Melhor Produção Animada Televisiva Infantil’ e “Melhor Dublagem em uma Produção Animada Televisiva” (Tom Kenny) e o prêmio de “Desenho Mais Valioso” do Hall of Game Awards.

Com a saída de Pendetlon em 2014, a série passou aos comandos de Adam Muto (da 5ª pra a 6ª temporada) ganhando um ar mais adulto, porém, continuando voltada para o público infantil. A série teve seu último episódio lançado em 3 de setembro deste ano em inglês e deve estrear o episódio final, dublado em português, em 23 de setembro deste ano aqui no Brasil.

Apesar do final oficial para a animação, a história continua nos quadrinhos, sendo os Studios BOOM! encarregado da produção, intitulada Adventure Time Season 11.

Se você leu até aqui, nos siga em nossas redes sociais (Facebook, TwitterInstagram) para mais conteúdo nerd/geek/pop.Não esqueça de assinar nosso Feed para ficar atualizado sobre nossos podcasts mais recentes

Obrigado pela leitura e até breve.

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud