Anuncio Publicitário

A Noite do Jogo usa comédia e suspense pra criar diversão barata | Review

| Nathália Gonçalves |
Anuncio Publicitário

Filmes baseados em jogos de tabuleiro não são tão comuns assim, mas se o divertidíssimo Clue (1985) ensinou alguma coisa àqueles que o seguiriam é que quando sua narrativa gira em torno de jogos de tabuleiro é melhor não se levar muito a sério e, é claro, que misturar suspense e comédia é não só possível como rende muita diversão. A Noite do Jogo é um sucessor que segue uma linha parecida da mistura de comédia com suspense, convidando o espectador para um mundo escuro e perigoso, mas apenas para se divertir com cenas de ação malucas e dar boas risadas acompanhando casais perfeitamente comuns.

Se o filme é bem sucedido em ser leve é divertido muito se deve ao seu elenco, que certamente é o melhor elemento do longa. Jason Bateman e Rachel McAdams tem química e constroem com maestria a dinâmica de um casal que se ama e se conhece tem muito tempo, os dois estão plenamente confortáveis ao lado um do outro e as trocas entre eles rendem alguns dos momentos mais divertidos. Larmone Morris se destaca, ele realmente recebe a chance de mostrar seu talento, sendo dono de algumas das piadas mais engraçadas. Kyle Chandler também é ótimo, eternamente charmoso, ele convence o público do porque todos o adoram e ao mesmo tempo consegue ser também o cara babaca de que o irmão tanto reclama.

O contraste da fotografia escura e ameaçadora com o bom humor em meio ao caos que a narrativa sempre leva é interessante, porém infelizmente não é o suficiente para compensar a total falta de risco ou preocupação que o filme oferece. Não há um minuto sequer em que dê para se preocupar com a vida dos personagens, mesmo eles em tese estarem correndo risco o tempo todo, e mesmo os personagens que parecem um pouco mais mortais não preocupam porque a narrativa não trabalha para que o espectador se importe com eles. Isso sem contar que o mistério montado pelo personagem de Kyle Chandler para a noite de jogos não é transportado para o filme de forma nenhuma, porque todos os mistérios do filme são resolvidos imediatamente pelos personagens através de deus ex machinas, ou simplesmente não são apresentados como mistérios para o público.

Anuncio Publicitário

Existe essa linha narrativa de que o protagonista precisa abandonar seu ego masculino e perceber que ele não precisa de coisas brilhantes para ter uma vida plena e realizada, porque ele já a tem. Esse tema é interessante, mas o roteiro parece se importar tão pouco pontos narrativas ou sequer alguma humanidade, que fica difícil até de percebe-lo em meio a loucura em que o filme se destrincha.

A Noite do Jogo deveria ser a história de pessoas comuns em uma situação bizarra que parece ter saído de um jogo, para fazê-los perceber que sua vida comum já é suficiente e os faz felizes. E de certa maneira, se você olhar muito de perto, talvez com a ajuda de uma lupa, essa é a história do filme. Porém, a cada virada de roteiro para fazê-lo parecer mais esperto e grandioso, a cada momento em que a suspensão de descrença necessária é elevada, ou que risco de vidas são simplesmente comentadas sem importância, o filme perde de pouquinho em pouquinho sua humanidade e joga fora a oportunidade de ser mais do que só diversão barata.

A Noite do Jogo oferece algumas horas de distração para desligar a mente dos problemas do dia a dia, as piadas são boas e a diversão é verdadeira. Mas é só isso, algumas horas de distração, porque quanto mais se tenta pensar e extrair alguma coisa do filme mais ele se mostra completamente vazio.

Anuncio Publicitário

Ultimas Notícias

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud