A Chegada | Uma reflexão sobre o livre arbítrio

| Tiago Amorim |

A Chegada é um daqueles filmes de ficção científica que te faz pensar sobre a vida, que te faz pensar horas e horas sobre possibilidades infinitas de como as coisas poderiam ser diferentes. Me diga, mesmo que você soubesse toda sua história, do nascimento até a morte, você mudaria algo?

ATENÇÃO! ESSA POSTAGEM CONTÉM SPOILERS DO FILME A CHEGADA

Este texto não tem o intuito de ser uma crítica ao filme, já que nós temos uma já feita em nosso site, mas sim, um texto falando um pouco sobre a ideia de livre arbítrio que o filme apresenta ao público.

Anuncio Publicitário

Devemos nos lembrar que o livre arbítrio seria a liberdade do ser humano de tomar decisões que afetem sua vida e consequentemente a de pessoas próximas a ele. Teoricamente, seria a liberdade da escolha de seu caminho, do nascimento até a morte. Mas é sabido que isso não ocorre na nossa sociedade. Nascemos em um sistema em que temos deveres a cumprir e somos obrigados a seguir uma linha que se desmembra em vários galhos. Por exemplo, estudar em algo que você escolheu livremente e trabalhar em cima daquilo que você estudou. Esses são os pilares atuais do livre arbítrio. Você só tem a liberdade de escolher o caminho mas os deveres são obrigatórios.

Dado essa introdução a nossa sensação de liberdade, deixo a questão para o vocês, leitores: Se você pudesse ver sua vida do nascimento até a morte, você mudaria algo?

A Chegada nos mostra exatamente esse dilema na protagonista, no início vemos flashbacks dela e toda a tragetória da filha até chegar em sua morte, mas, descobrimos que na verdade ela está vendo o futuro e buscando as respostas para o presente, mesmo que isso seja involuntário. E o melhor de tudo, quando ela descobre que o que ela vê é o futuro, ela o abraça. Mesmo sabendo que a dor de perder uma filha será enorme ela tem os culhões de seguir em frente e abraçar esse destino. O que me deixou a entender que o tempo é inexorável, que nada pode muda-lo. Que existe uma papel concebido a nós para desempenharmos na terra.

Anuncio Publicitário

A ideia de tempo não mutável, acaba por não me assustar. Saber que a nossa história tem um início, meio e fim deixa as coisas mais poéticas. Obviamente, essa ideia de termos nossa história já escrita em algum plano cósmico não quer dizer que devemos seguir o mantra “Deixa a vida me levar, vida leva eu” guiar a nossa existência. Por mais que nosso caminho já esteja pré-determinado, provavelmente, o mato tomou conta da trilha. E para que nós à atravessarmos, teremos que capinar a folhagem. O caminho pode ser difícil, escorregadio e por vezes desanimador. Mas no final das contas, o que vale não é o prêmio final, pois, a recompensa verdadeira é olhar para toda aquela estrada trilhada e lembrar de todas as experiências e empecilhos que você passou. Tudo aquilo valeu a pena. E essa é a verdadeira recompensa.

Após esta reflexão, você ainda mudaria o seu futuro?

Anuncio Publicitário

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud