• Início
  • Artigos
  • Por que Titanfall 2 é um dos melhores FPS da geração atual | 1 Real Recomenda
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat.
| Márcio Moreira | ,

Por que Titanfall 2 é um dos melhores FPS da geração atual | 1 Real Recomenda

A essa altura do campeonato deve estar parecendo que sou o especialista residente aqui do 1 Real a Hora no que diz respeito ao gênero mecha (e, modéstia a parte, sou mesmo), pois aqui estou, mais uma vez, para falar sobre um jogo que envolve robôs gigantes.

Advertisement

Felizmente, ao contrário da minha última contribuição ao site, este artigo se propõe a recomendar fervorosamente um jogo fenomenal que acabou de chegar na Steam (com um excelente desconto que vai até dia 9 de julho) e não merece ser esquecido.

Titanfall 2 é um jogo de tiro em primeira pessoa (FPS) lançado em 2016, publicado pela Electronic Arts e desenvolvido pela Respawn Entertainment — que posteriormente viria a criar o popular battle royale Apex Legends (que por acaso é um spin-off da franquia Titanfall) e a aclamada aventura single-player Star Wars Jedi: Fallen Order.

Titanfall 2
Super-soldados e robôs gigantes dividem o campo de batalha em Titanfall 2, e você pode transicionar entre os dois modos de controle sem muita dificuldade.

Antes de mais nada, um pouco de História

Acho que o aspecto de Titanfall 2 que mais surpreendeu o público na época de seu lançamento (e de certo foi parcialmente responsável por seu fracasso financeiro naquele período) é o fato de que ele é a continuação para um jogo que não havia sido tão bem-recebido pra começo de conversa.

O primeiro Titanfall era um FPS exclusivamente multiplayer vendido como um jogo Triple-A sem ao menos oferecer conteúdo suficiente para justificar esse preço. O núcleo da jogabilidade, no entanto, era bastante sólido apesar de alguns pequenos defeitos, e a Respawn não teve qualquer dificuldade de acertar as coisas na sequência.

Titanfall 2 foi lançado em outubro de 2016 para Playstation 4, Xbox One e Microsoft Windows (através da plataforma Origin).

Mesmo na época, todos concordavam que a escolha dessa data foi bastante mal-pensada pois colocou o jogo em concorrência direta com Battlefield 1 e Call of Duty: Infinite Warfare, dois títulos de franquias já estabelecidas com um público cativo considerável (e inexplicável no caso de CoD).

Apesar de Titanfall 2 ter sido bastante aclamado pela crítica e pelos fãs, além de ter sido lançado quase sem nenhum bug (o que deveria ser a regra mas a indústria dos jogos têm se esforçado para fazer disso uma exceção), a EA Games julgou as vendas insatisfatórias e concluiu que os números não justificariam suporte prolongado ao FPS de ficção científica.

A última atualização se deu em 31 de outubro de 2017, e a Respawn seguiu em frente rumo a outro projeto que viria a se tornar Apex Legends. Apesar de os desenvolvedores já terem dito várias vezes que ainda planejam uma continuação para a franquia, não há qualquer previsão de lançamento para um possível Titanfall 3.

Mesmo assim, o jogo perdura até hoje graças a uma sólida comunidade de fãs leais e amigáveis (segundo o site Player Counter, há, no exato momento da publicação deste artigo, aproximadamente 25 mil pessoas ao redor do mundo jogando Titanfall 2), e agora é um momento mais que perfeito para fazer parte dela.

Titanfall 2
Tanto os mapas multiplayer quanto as missões single-player são muito bem-projetados, com inúmeros elementos que facilitam qualquer abordagem no combate.

Mas o que é Titanfall 2?

Resumidamente: Titanfall 2 é um FPS que mistura parkour e mecha em uma ambientação que parece ter sido concebida por Robert Heinlein num dia em que ele estava de bom humor.

Não sei se uma versão mais longa dessa descrição seria capaz de fazer jus à magnificência desse jogo, que por acaso é trazido à vida através da gloriosa Source Engine (a mesma engine que nos trouxe Half-Life 2, por incrível que pareça), mas vou tentar mesmo assim.

Situado em um futuro onde diversos avanços tecnológicos permitiram que a humanidade colonizasse mundos distantes, Titanfall 2 põe você na pele de um piloto encarregado de lutar na linha de frente das batalhas travadas entre facções que disputam o controle dos planetas e recursos localizados na região conhecida como “A Fronteira”.

O fato de eu ter escrito piloto dessa forma não é acidental: no universo de Titanfall, pilotos não são apenas os condutores dos robôs gigantes que dão à franquia o seu nome, mas também verdadeiros exércitos de um homem só mesmo fora da cabine de um titã.

Como um piloto, você adquire agilidade e resistência sobre-humanas: a capacidade de recuperar sua saúde fora de perigo (uma justificativa bem sólida para um sistema que é frequentemente inverossímil) e de resistir a grandes quedas; as habilidades de executar pulos duplos e correr pelas paredes graças a um jetpack integrado ao seu traje; sem falar em outras ferramentas táticas como um grappling hook e invisibilidade.

Titanfall 2
É possível atravessar toda a extensão de um mapa sem tocar o chão, pra você ter uma ideia.

Todos os aspectos de Titanfall 2, desde a gunplay até os mapas, foram projetados com isso em mente, e o jogo te incentiva a tirar proveito máximo de suas amplas mecânicas de mobilidade. Você precisa ficar em constante movimento para otimizar tanto seu potencial ofensivo quanto defensivo e, quanto mais ágil e eficiente você for, mais cedo você poderá entrar no cockpit do seu titã.

Ah, sobre isso: No começo de toda partida multiplayer, é iniciada uma contagem regressiva para cada jogador que culmina na disponibilização dos titãs para ajudar na luta, e a presença desses robôs gigantes transforma completamente o clima do campo de batalha.

Apesar de os titãs funcionarem autonomamente quando não estão sendo pilotados, apenas um piloto tem a capacidade de acessar o imenso leque de habilidades desses gigantes de metal.

Há um total de sete titãs disponíveis em Titanfall 2 (um número razoável que poderia sido maior se não fosse pela forma como a EA tratou o jogo), cada um com um arsenal e habilidades únicos (um deles dispara , sem falar no punhado de perks disponíveis que podem ser usados para modificar os robôs e melhor adequá-los ao seu estilo de jogo.

Titanfall 2
O controle das diferentes classes de titãs é rápido e preciso sem se esquecer da sensação de peso que é obrigatória em qualquer coisa envolvendo robôs gigantes, e isso sem falar que as batalhas entre eles são verdadeiros espetáculos visuais.

Além do robusto componente multiplayer, que inclui uma grande variedade de modalidades PvP para 12 jogadores além de um horde mode cooperativo para até quatro jogadores, Titanfall 2 possui provavelmente a melhor campanha já feita para um FPS de orçamento triple-A.

A história gira em torno do piloto novato Jack Cooper (um protagonista genérico que serve apenas como receptáculo para o jogador) e o titã BT-7274 (basicamente uma versão mais carismática e letal de Baymax, personagem do filme Operação Big Hero).

Cooper é apresentado como um soldado — e aspirante a piloto — que serve à Frontier Militia, um movimento paramilitar que luta para tirar a Fronteira das mãos do grande conglomerado industrial Interstellar Manufacturing Corporation (IMC).

A trama é inteiramente situada no planeta Typhon, que é alvo de uma invasão por parte da Militia no início do jogo. Pouco após aterrissar no planeta, Cooper e seu esquadrão são emboscados por membros do grupo mercenário Apex Predators, que exterminam todos os soldados com exceção do protagonista. O capitão Tai Lastimosa, piloto veterano e mentor do jovem soldado, aparece no último minuto e se sacrifica para protegê-lo.

Logo antes de morrer devido a ferimentos infligidos pelos Apex Predators, Lastimosa transfere a Cooper o status de piloto e o controle sobre seu titã, BT-7274. Agora, Cooper e BT precisam trabalhar juntos e dar continuidade à missão, pois essa é a única maneira de escapar do planeta.

Titanfall 2
O modo single-player de Titanfall 2 é tão bom que às vezes eu fico me perguntando como que a EA não tentou vendê-lo separadamente como DLC.

É uma trama bem curta (dá pra zerar em umas quatro horas se você não morrer nenhuma vez) e a história não vai ganhar nenhum prêmio, mas vale a pena ser jogada por dois motivos: o excelente desenvolvimento da relação de companheirismo entre Cooper e BT, que criam um vínculo bastante humano (o que é irônico visto que BT é um robô) em meio às inúmeras adversidades que os dois encaram; e o fato de e campanha em si ser um grande triunfo em questão de design dos níveis e da jogabilidade.

Apesar de apresentarem apenas etapas de uma história linear, cada missão de Titanfall 2 é projetada como uma verdadeira sandbox onde você pode adotar inúmeras abordagens diferentes para atingir seu objetivo, seja como o ágil piloto ou o como o poderoso titã.

As diferentes fases seguem uma estrutura semi-aberta cheia de diversos elementos com os quais você pode interagir, e isso abre margem para que nenhum playthrough seja idêntico ao anterior.

Minha única reclamação a respeito do modo single-player é algo mais pessoal que também diz respeito àquela coisa que mencionei alguns parágrafos atrás: é muito curto, apesar de ser uma experiência fodástica durante essas poucas horas.

Titanfall 2
A amizade que se desenvolve entre os dois protagonistas é refletida na jogabilidade da campanha. Ambos precisam um do outro e fazem o possível para se ajudar.

Imagino que a Respawn não ligou para questões como a duração do modo single-player, visto que Titanfall 2 foi desenvolvido desde o início como uma experiência multiplayer, sem falar que a adição de uma campanha se deu como resposta ao backlash que o primeiro Titanfall sofreu por não ter uma, mas a breve história de Cooper e BT cumpre o que se propõe a fazer.

Campanhas single-player em jogos desenvolvidos com o foco no multiplayer costumam ter o único propósito de introduzir o jogador ao universo e às mecânicas que ele precisa conhecer antes de cair de paraquedas no modo principal, e não há nada de errado nisso (contanto que elas sejam boas).

Por outro lado, o universo e o elenco de personagens são tão cheios de charme e personalidade que eu adoraria ter tido mais tempo para conhecer ambos, e torço para que a Respawn entregue isso em um possível terceiro jogo.

O estúdio já provou com o sucesso de Star Wars Jedi: Fallen Order que são mais do que capazes de criar uma narrativa extensa e envolvente, então por que não aplicar todo esse talento à série que colocou eles no mapa pra começo de conversa?

Titanfall 2
Essa mulher esvaziando o pente da pistola no tórax de um titã é Sarah Briggs, comandante da divisão miliciana Marauder Corps e um dos motivos pelos quais Titanfall merece mais visibilidade, além de um novo jogo para explorar mais do universo e dos personagens.

Infelizmente não temos a menor ideia de quando a franquia Titanfall vai ganhar seu aguardado próximo capítulo, já que os desenvolvedores andam bem ocupados com Apex Legends e tudo o mais. Entretanto, como foi dito no início do texto, eles mesmos disseram que não descartam a possibilidade de uma sequência.

Se você ainda não tem esse jogo maravilhoso na sua biblioteca e sempre evitou comprá-lo na Origin devido ao preço salgado, devo reiterar que Titanfall 2 está disponível na Steam por apenas 30 reais até dia 9 de julho.

Além de ser sem dúvida uma excelente aquisição que certamente lhe renderá dezenas (ou centenas, dependendo da sua disposição) de horas de diversão online, cada compra de Titanfall 2 ajuda a mandar à EA Games e à Respawn Entertainment a mensagem de que esse universo merece uma nova chance.

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud