• Início
  • Cine
  • Animações
  • 1 Real Recomenda: 5 animes excelentes na Amazon Prime que você (provavelmente) não assistiu ainda

1 Real Recomenda: 5 animes excelentes na Amazon Prime que você (provavelmente) não assistiu ainda

| Márcio Moreira | ,

A plataforma de streaming Amazon Prime Video é amplamente aceita como a principal rival da Netflix, especialmente no que diz respeito à alta qualidade de seu conteúdo original. O serviço criado pela maior empresa de varejo do mundo tem vários defeitos que vão desde um catálogo não muito extenso (que eles precisam inflar catalogando várias temporadas da mesma série como itens separados) à incômoda interface de usuário.

Eu diria que é até compreensível, já que a Amazon Prime é relativamente nova no mercado, mas tá passando da hora de o Jeff Bezos desembolsar alguns milhões e atualizar esse sistema. Ok, voltando ao assunto…

Esse acervo restrito, no entanto, abriga alguns excelentes exemplares entre os animes. Desde o clássico InuYasha (disponível apenas na versão dublada e censurada, infelizmente) até grandes sucessos contemporâneos como Fruits Basket, Fire Force e Vinland Saga, qualquer fã da animação nipônica pode encontrar centenas de horas de entretenimento aqui.

Mas e quanto àqueles animes menos conhecidos, que juntam poeira nos cantos obscuros da Amazon Prime e não são trazidos à tona com o mesmo fervor pela comunidade? Dando continuidade ao artigo de ontem onde revirei a Netflix em busca de bons animes, estou pronto para prosseguir no meu esforço de atrair mais atenção para produções merecedoras da sua atenção e que estão disponíveis a um clique de distância.

Lá vamos nós com uma breve lista, sem ordem de classificação específica porque sou péssimo nisso, de animes interessantes disponíveis na Amazon Prime que você provavelmente nunca fez questão de assistir, mas deveria.

Nota: As sinopses em itálico são traduzidas e adaptadas a partir dos textos contidos na página principal de cada anime no portal MyAnimeList.

Confira essas cinco pérolas encontradas nos confins da Amazon Prime:

1. Vampire Hunter: Darkstalkers (minissérie OVA em 4 partes)

Amazon Prime Darkstalkers

O mundo é um lugar sombrio e inquietante populado por humanos, mas que é na verdade governado por seres poderosos conhecidos como Darkstalkers, engajados em conflito constante à medida que tentam definir quem é o mais poderoso entre eles. Zumbis, vampiros, lobisomens — todas essas criaturas das sombras enfrentam umas às outras em disputas de força e determinação a fim de atingir seus próprios objetivos.

Tudo isso chega a um impasse quando uma raça de robôs astecas chamados Huitzil decidem que a humanidade não é digna de salvação e declaram guerra ao mundo, enquanto nos céus um deus solar vindo do espaço trama sua conquista do planeta. Em meio a esse caos, os Darkstalkers precisam se tornar relutantes aliados se quiserem salvar o mundo.

Você se lembra da franquia de jogos de luta Darkstalkers? Aquela lá que tinha cores tão vibrantes e animações tão ridiculamente vívidas que levava o hardware do CPS2 ao limite? Se sua resposta for “sim”, meus parabéns, pois você tem uma memória muito melhor que a CAPCOM. O fato de a plataforma Amazon Prime ter lembrado da existência dessa franquia me deixa igualmente satisfeito.

O que esperar desse anime? Admito que a nostalgia foi mais forte que meu senso crítico na hora que eu decidi incluir esse item na minha lista, porque essa minissérie não é lá muito boa objetivamente falando. Mas, de qualquer forma, a sensação de ver o elenco de Darkstalkers ganhando vida além dos pixels do fliperama certamente acenderá a sua nostalgia também.

2. Dororo (1 temporada, 24 episódios)

Amazon Prime Dororo

A terra do ganancioso lorde samurai Daigo Kagemitsu está morrendo e ele faria qualquer coisa por poder, até mesmo renunciar Buda em favor de um pacto com demônios. Suas preces são atendidas por 12 demônios que dão a ele o poder tão cobiçado e ajudam seu feudo a prosperar, mas a um preço. Quando o primeiro filho de Kagemitsu nasce, o garoto não tem membros, nariz, olhos, orelhas, e nem mesmo pele — ainda assim, ele vive.

Essa criança é abandonada em um rio e esquecida, mas tem a sorte de ser salva por um médico que fornece a ela próteses e armas que o permitem sobreviver e proteger a si mesma. O garoto chamado de Hyakkimaru cresce e, embora não possa ver, ouvir ou sentir qualquer coisa, ele deve partir em uma jornada para enfrentar os demônios para os quais ele foi entregue como sacrifício.

Com cada vitória, Hyakkimaru readquire uma parte de seu corpo que lhe havia sido usurpada muito tempo atrás. Por muitos anos ele vaga sozinho, até que certo dia um menino órfão chamado Dororo o encontra e se torna seu amigo. Essa dupla improvável de rejeitados agora luta pela própria sobrevivência em um mundo implacável e infestado de demônios.

A primeira entre duas produções do estúdio MAPPA nessa lista, Dororo é a segunda adaptação animada do mangá homônimo de Osamu Tezuka (aclamado como o pai dos mangás modernos) que, por sua vez, é uma das mais influentes histórias já produzidas para essa mídia.

O anime lançado ano passado e transmitido simultaneamente pela Amazon Prime no Brasil traz um estilo visual modernizado, além de adotar um tom mais sombrio — que o mestre Tezuka pretendia evocar na obra original mas foi incapaz de fazê-lo por diversos motivos. Alguns diriam que o resultado dessa modernização chegou perto de se tornar o melhor anime de 2019.

O que esperar desse anime? Atualmente, acho que Dororo é meio que um guilty pleasure para mim. Enquanto a primeira metade da série de apenas 24 episódios é indiscutivelmente fodástica em todos os aspectos, o enredo e a qualidade técnica sofrem uma queda brusca quando se chega na segunda metade.

Felizmente, entre os episódios 15 e 16, o anime consegue se recuperar (ainda que apenas parcialmente no que diz respeito às questões técnicas) dessa queda e entregar um desfecho satisfatório que conclui os arcos dos protagonistas Hyakkimaru e Dororo com uma maestria que deixaria o mestre Tezuka orgulhoso.

3. Banana Fish (1 temporada, 24 episódios)

Amazon Prime Banana Fish
Não posso ter sido o único que notou a semelhança entre esse cara e o James Dean

Aslan Jade Callenreese, conhecido também como Ash Lynx, era só mais uma criança que vagava pelas ruas de Nova Iorque, até que um dia foi apanhado e adotado pelo infame chefão da Máfia, Dino Golzine.

Agora com 17 anos e uma gangue sob seu comando, Ash põe as mãos em uma misteriosa droga chamada “Banana Fish” — coincidentemente as mesmas duas palavras que seu irmão mais velho Griffin tem murmurado desde que retornou catatônico da Guerra do Iraque. Essa investigação é abruptamente interrompida quando Dino envia seus homens para recolher a droga no bar subterrâneo que a gangue de Ash usa como esconderijo.

Nesse mesmo bar Skip, melhor amigo e braço-direito de Ash, apresenta a seu chefe o fotógrafo japonês Shuichi Ibe e seu assistente Eiji Okumura, que estão trabalhando em uma reportagem sobre gangues de rua americanas. No entanto, essa breve conversa é interrompida quando Shorter Wong, um dos aliados de Ash, liga para avisá-lo sobre Dino.

Logo em seguida, os homens de Dino arrombam o bar, raptando Skip e Eiji durante o caos subsequente. Agora Ash precisa encontrar uma forma de resgatá-los e prosseguir adentro em sua investigação sobre o Banana Fish, mas será que seu histórico de crimes e associação com a máfia permitirá que ele vá adiante nessa busca?

Olha só o que temos aqui: outra produção da MAPPA transmitida simultaneamente pela Amazon Prime, que por acaso também é uma adaptação modernizada de um mangá antigo.

Banana Fish foi lançado no ano de 2018 e adapta o mangá de mesmo nome, que por sua vez foi criado por Akimi Yoshida e serializado entre 1985 e 1994. Assim como ocorreu com o item anterior dessa lista, o estúdio tomou certas liberdades poéticas com a ambientação do anime, numa tentativa até bem-sucedida de modernizar o conteúdo da obra de Akimi Yoshida e torná-lo mais palatável para as audiências contemporâneas.

O que esperar desse anime? Resolvi assistir Banana Fish sem qualquer expectativa (e sem quaisquer informações prévias a respeito, pra ser mais preciso) e fui positivamente surpreendido pela qualidade da obra. É uma mistura caótica de vários gêneros diferentes que te mantém preso a todo instante.

O anime chama atenção logo de cara pela ambientação nova-iorquina e pela forma como ele aborda o conceito do “delinquente adolescente” — que estava em alta em meados dos anos 80, quando o mangá foi lançado — sob uma ótica ocidental visivelmente inspirada em clássicos do cinema norte-americano como Juventude Transviada e Sindicato dos Ladrões.

Além de um mistério central intrigante que coloca os personagens em risco cada vez maior à medida que a trama se aproxima de seu fatídico desfecho, Banana Fish é um sucesso graças ao seu elenco de personagens repletos de carisma e profundidade. No centro de tudo estão os dois rapazes que protagonizam a história, Ash e Eiji, cuja amizade — que eventualmente evolui para um romance — é um dos relacionamentos mais genuínos e bem-desenvolvidos que já vi em um anime.

Se você gosta de dramas criminais com mistério, ação, aventura e um pouquinho de romance, Banana Fish é a escolha perfeita para assistir na Amazon Prime.

4. Re:Creators (1 temporada, 22 episódios)

Amazon Prime Re Creators

Humanos têm projetado inúmeros mundos — cada um nascido da ímpar imaginação de seu respectivo criador. Souta Mizushino é um estudante de colegial que aspira se tornar um desses criadores ao escrever e ilustrar sua própria light novel. Certo dia, enquanto assistia anime para ter inspiração, ele é brevemente transportado para uma violenta cena de batalha. Quando retorna ao mundo real, o rapaz nota que algo está errado: Selesia Yupitilia, a obstinada protagonista do anime que Souta estava assistindo, de alguma forma voltou junto com ele.

Logo em seguida, outros personagens fictícios aparecem no mundo carregando as esperanças e traumas de seus lares. Um cavaleiro majestoso, uma garota mágica, um brigão impiedoso, e muitos outros agora lotam as ruas do Japão. No entanto, o mais misterioso desses personagens é uma mulher conhecida como “A Princesa do Uniforme Militar”, que sabe mais do que deveria sobre o mundo dos criadores. Apesar disso, ninguém sabe o nome verdadeiro dela, tampouco de onde ela veio.

Enquanto isso, Souta e Selesia trabalham juntos de Meteora Österreich, uma calma e educada NPC bibliotecária, para descobrir o significado por trás desses eventos anormais. Com forças poderosas agindo, o que antes era uma clara linha entre realidade e imaginação se torna cada vez mais tênue, culminando no fatídico encontro entre os criadores e suas criações.

Re:Creators é um anime original lançado em 2017 no meio da explosão de animes isekai, que trouxe alguns animes sensacionais como Re:Zero e Hai to Gensou no Grimgar, além de outros animes horrorosos não tão bons tipo aquele do smartphone e… sei lá, tem exemplos demais.

Tendo em vista o fato de a premissa do anime literalmente ressignificar o nome isekai (sem falar nesse prefixo Re: do título), não dá pra culpar quem teve a impressão de que isso se tratava de um spin-off de Re:Zero. As únicas semelhanças estão no nome e no fato de que Re:Creators ambiciona ser uma desconstrução do gênero em si.

O que esperar desse anime? Já devo adiantar que Re:Creators tem variados e inconstantes graus de sucesso no que se propõe a fazer, e o potencial da premissa é explorado de maneira bem mais rasa do que muitos gostariam de ver enquanto o acompanhavam (seja através da transmissão simultânea da Amazon Prime ou de certos sites de origem duvidosa).

Se você abaixar suas expectativas e não esperar que Re:Creators seja a subversão máxima dos isekai (pelo andar da carruagem, ninguém vai tirar essa coroa de Re:Zero por um bom tempo), vai acabar encontrando um anime bem divertido com bons personagens e um enredo envolvente que explora os aspectos do seu próprio gênero de forma surpreendentemente criativa.

5. Jormungand (1 temporada, 12 episódios)

Amazon Prime Jormungand

Criado em um ambiente assolado pela guerra, o criança-soldado Jonathan “Jonah” Mar odeia armas e aqueles que as vendem, mas quando a traficante internacional de armas Koko Hekmatyar escolhe Jonah para ser um de seus guarda-costas, ele não tem escolha a não ser usá-las.

Junto aos outros guarda-costas de Koko, em sua maioria ex-soldados das forças especiais, Jonah é encarregado de proteger Koko — assim como o objetivo ridiculamente idealista dela de trazer a paz mundial — dos incontáveis perigos trazidos por esse ramo de trabalho.

Como o trabalho de Koko é ilegal aos olhos da justiça internacional, ela é forçada a constantemente se esquivar de autoridades locais e internacionais ao passo que conduz negócios com exércitos, milícias e organizações paramilitares.

Com a CIA sempre no seu encalço e assassinos se esgueirando em todo canto, Jonah e a equipe de segurança devem proteger Koko e seu sonho de paz mundial com as próprias vidas — ou morrer tentando.

Ok, pessoal, eu admito que tenho um fraco por animes que lidam com temas anti-guerra. Se você se interessou por Mobile Suit Gundam: Iron-Blooded Orphans, que eu indiquei na lista de ontem, há chances altíssimas de você se interessar também por Jormungand.

Lançado em 2012 e baseado no mangá homônimo de Keitarou Takahashi, o anime de Jormungand tem um pedigree invejável: animado pelo estúdio White Fox (de Steins;Gate e Re:Zero) e produzido pela Geneon Universal Entertainment (de Black Lagoon, Ergo Proxy e Hellsing Ultimate), essas informações são tudo que você precisa saber para ter uma ideia básica do nível de qualidade dessa produção.

O que esperar desse anime? A própria sinopse lá em cima já entrega que estamos falando de uma série que não tem medo de abordar temas pesados e atuais, a exemplo da indústria da guerra e do uso de crianças-soldado ao redor do mundo. Felizmente, como todo seinen de respeito, Jormungand apresenta essa reflexão em meio a uma trama frenética e violenta que irá deixar qualquer fã de ação vidrado na tela.

Vale mencionar que o anime ganhou uma segunda temporada, também exibida em 2012, que leva o título Jormungand: Perfect Order. No entanto, apenas a primeira temporada está disponível na Amazon Prime até o momento de publicação dessa matéria.

Considerações Finais

Amazon Prime

Eu juro que adoraria ter feito dessa lista um top 10 igual a de ontem, mas infelizmente não foi possível. O catálogo da Amazon Prime, especialmente no que diz respeito ao acervo de animes, ainda está em sua infância se comparado à gigantesca variedade de conteúdo proporcionada pela concorrência.

Felizmente, o “pouco” que está disponível na plataforma até o momento é de altíssima qualidade. Além dos cinco animes listados neste texto, o serviço dispõe de algumas das melhores séries originais da atualidade como The Boys, The Expanse e The Man in the High Castle, além de um catálogo de filmes e séries incríveis que você não consegue achar na Netflix.

Então escute o que eu digo: se você ainda não começou a assinar a Amazon Prime pelo preço ridiculamente baixo de R$ 9,90 por mês, faça um favor a si mesmo e assine. Quem sabe futuramente, graças ao apoio que você estaria dando à plataforma com sua assinatura, a Amazon pode expandir o acervo de animes no serviço e trazer mais produções sensacionais para as terras brasileiras?

1 Real a Hora

Encontre Sua Trilha No Mundo Nerd!
1 Real a Hora - 2020 | Desenvolvido por Vedrak | Mantido online e operante em parceria com a Nixem Cloud

Adblock Detectado

Nosso website necessita exibir anúncios para poder se manter, por favor desabilite o adblock para colaborar com o 1 real a hora