Publisher Theme
I’m a gamer, always have been.

Duel Links – O Jogo Mais Amado e Odiado

0

Duel Links fez muito sucesso no ano de seu lançamento e meados de 2019, ainda sob protestos de diversos jogadores cansados pela forma com a qual as coisas vinham rolando. Vim relembrar da trajetória desse famoso game lançado há quase cinco anos, e que ainda gera certa confusão por aí.

Duel Links – O Jogo Mais Amado E Odiado
Foto Reprodução: Techtudo. Duel Links.

O Tiro de Sorte da Konami

No dia 17 de novembro de 2016, a Konami lança para Android e IOS, Yu-Gi-Oh! Duel Links, o que para muitos fãs foi o ápice da empresa e do afronte porque no mesmo ano apenas quatro meses antes a Niantic havia lançado Pokémon GO!

Acredito que PKMN tenha saído no prejuízo pelo simples fato de nos fazer sair com celular na rua, correndo risco de sofrer um assalto e perder o aparelho. Com Duel Links é só ficar de boa em casa, colecionando cartinhas para desafiar um desconhecido através do sistema PvP.

Já era de se imaginar que o jogo fosse fazer um enorme sucesso entre os gamers de todas as idades, principalmente os que cresceram assistindo ao anime de Yu-Gi-Oh! Colecionando as cartas e vendo as mães jogando fora por dizer ser do demônio. Quem não lembra dessa famigerada época que atire a primeira pedra.

A Konami foi completamente inteligente de fazer um evento com um dos vilões da primeira temporada do anime para atrair ainda mais players. Maximilion Pegasus, criador dos monstros de duelo. Seu evento foi baseado no Mundo Toon, seu principal deck durante a Duelist Kingdom.

Pelo sucesso que teve, o evento retorna novamente em fevereiro de 2017. Irei te apresentar como era o começo do jogo, para quem não conhece direito e possa ter interesse ou para que relembremos das coisas agradáveis que nos faziam felizes, mas que hoje nem sentimos mais falta.

Personagens Jogáveis

Duel links e o suposto sucesso

Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links. Seto Kaiba.

Nesta imagem vemos um dos personagens principais que podem ser escolhidos após iniciar pela primeira vez no jogo. Ele nos dá duas opções, Seto Kaiba, portador da famosa carta “Dragão Branco de Olhos Azuis”, rival de Yugi Muto desde o primeiro episódio do anime.

Kaiba é o típico personagem que fica de lado por causa do protagonista da série, como em qualquer anime ou história. Muitos, optaram por escolher o presidente da KC porque gostam de seu estilo. Não podemos negar, é um personagem dotado de inteligência e talento.

Portador não apenas de uma das cartas mais fortes da primeira geração, como também é capaz de controlar Obelisco Atormentador, uma carta de Deus Egípcio que vem ao Duel Links no ano de 2018 através de um evento com Ishizu Ishtar – irmã mais velha de Marik.

Nós temos a oportunidade de usar habilidades que complementam nosso deck, deixando-o mais forte. A principal skill de Seto Kaiba é Agressivo. Ao final do turno, aumenta o ataque de monstros de cinco estrelas ou superior, que será multiplicado por 300.

É uma skill poderosa se souber usar corretamente, principalmente se for em deck meta no JxJ.

Por outro lado, nós temos o rival de Kaiba, o protagonista que vence sempre com o poder da amizade e confiando no coração das cartas, muda regras ou as inventa a seu modo para vencer.

Sua carta às na primeira e em todas as temporadas é simplesmente o Mago Negro.

Duel Links E O Suposto Sucesso
Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links. Yami Yugi.

Yami Yugi, outro dos personagens no qual você pode escolher para começar sua aventura no mundo de Duel Links. Você deve se perguntar sobre Yugi Muto, mas tudo o que tenho a dizer é que ele foi lançado um tempo depois. Yami possui muitas outras cartas marcantes e memoráveis, como Kuriboh ou Maga Negra.

Ele também é portador do Enigma do Milênio, onde costuma ficar quando não está em posse do corpo. Já enfrentou diversos inimigos, ajudou Yugi a confiar mais em si e no coração das cartas, e retorna ao seu mundo no final do anime – na sexta temporada.

Já no mundo de Duel Links, tudo é completamente diferente.

A habilidade para usar combinando com o deck, mais forte e utilizada por vários jogadores é Sacar o Destino, podendo ser utilizado ao perder 2.000 pontos de vida. Durante sua fase de compra, compre um card a sua escolha. Lembrando que a skill pode ser usada uma vez por duelo!

A Carta Que Não Dropava

Duel links – o jogo mais amado e odiado
Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links. Enemy Controler.

Ainda em 2017, muitos jogadores farmavam os personagens do portão para coletar suas cartas, embora muitos tivessem cartas ruins, menos Seto Kaiba. O cara não tem essa de portar cartas de segunda qualidade! Essa carta foi muito comentada nos grupos de Duel Links pelo Facebook.

Diversos players, inclusive eu, reclamavam dessa carta não dropar pós duelo de farm. As chaves brancas se esvaiam e todos, literalmente, chupavam os dedos vendo os sortudos com o Enemy Controler.

Decks mais caros, comumente chamados de Decks de Burguês Safado, tinham não apenas dois, mas três dessa bendita carta! Nem queira imaginar como foi o alvoroço da galera na época para tentar ter apenas uma.

A comunidade fez que fez, e a Konami disponibilizou a carta para os jogadores trocarem através de um bilhete amarelo Super Raro, acredito que 99% tenha adquirido a tão sonhada carta. Nos duelos em PvP, os oponentes tinham três dessa carta inserida no deck.

Duelar online começou a se tornar um desafio e tanto, porque mal se tinha oportunidade de atacar já que o oponente tinha sempre um Controlador na zona de magia e armadilha.

Isso definitivamente não poderia dar tão certo assim, porque um tempo depois desse carnaval de gente ganhando só por causa do controle, a Konami foi e nerfou a carta. Pode-se utilizar apenas duas dela. Ótimo, não? Sim! Mas quem tinha Esfera Kuriboh nem deu bola.

Uns ficaram aliviados, o que também daria chance de colocar novas cartas de magia no deck para aprender jogar de uma maneira diferente. Por um lado foi bom, não vejo hoje se valeria a pena ter três cartas dessas no meu baralho. Seria um desperdício de espaço.

As Box Do Jogo

Quando comecei a jogar, em 2017, lembro de haver pouquíssimas caixas de vendas de cartas que podem ser adquiridas trocando por gemas, que são coletadas upando personagens ou em eventos. O começo de Duel Links era agradável sem um caminhão de caixas de decks.

Ninguém conhecia decks metas, portanto, gemas foram desperdiçadas por não terem ideia do que comprar ou porque queriam colecionar. Se montar um deck competitivo foi mudar só em meados de 2017, imagina como era no começo; terra sem lei, de ninguém. Era cada deck absurdo, que dava raiva!

Mesmo com alguns cards obtidos do evento de Pegasus, como o Renunciado, por exemplo, ainda tínhamos de coletar as cartas das box para ter algum deck decente, então com as gemas poderíamos escolher dentre quatro caixas para abrir e testar a sorte.

Duel Links – O Jogo Mais Amado E Odiado
Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links! Box lançadas no início.

Quando comecei a jogar, era por volta de fevereiro-abril, então as caixas que tinham eram: Neo-Impact, Flames Of The Tyrant, Valkyrie’s Rage e Wonders Of The Sky. A primeira box, The Ultimate Rising e Age Of Discovery, mini box, foram removidas, voltando algum tempo depois.

Dentre as que citei, cartas como Parede Espelhada, Esfera Kuriboh fizeram parte do meta-game por um longo tempo. Sendo Ultra Raras a possibilidade de as obter tanto como uma cópia quanto duas era quase impossível, os que tinham três é porque investiram $ nessas cartas.

Conforme o tempo foi passando isso começou a ser muito criticado pelos players. Todo mês tinha caixa e mini sendo lançadas, os Free To Play – que não pagam para jogar, saiam no prejuízo. Entretanto, os Pay To Win – que compram cartas com dinheiro no jogo, saíam no lucro junto da empresa.

Tinha quem reclamasse dos nerfs desses decks metas, mas graças a isso foi possível balancear a ranqueada que era bem desigual para quem não investia dinheiro no jogo, apenas seu tempo.

A Quantidade Absurda de Box

Um dos grandiosos problemas de Duel Links já em 2018, apenas um ano depois de seu lançamento, foram as Gemas em pouca quantidade que recebiam a cada missão ou level up de personagens. Os veteranos tiveram de começar uma conta nova para juntas as pedras.

Talvez você não tenha compreendido o real motivo de veteranos – não todos, deixado a conta antiga para iniciar uma nova. Na época do lançamento, até meados de 2017 os canais no YT não instruíam bem os novatos e eles abriam qualquer box que vissem pela frente, desperdiçando altas quantias de gemas.

A nova estratégia da empresa foi lançar Decks Estruturais de alguns personagens, como Joey Wheeler, Yami Yugi e Jaden Yuki, protagonista de Yu-Gi-Oh! GX. Isso funcionou tão bem que as gemas que antes não paravam na conta do jogador, começaram a sobrar.

Entretanto, no meio disso havia muita impaciência de jogadores assíduos querendo que a empresa tomasse devidas providências quanto aos valores recebidos por gemas, que em certos eventos vinham 10 e do nada passaram a vir apenas 1.

Muitos tentaram boicotar a empresa que parecia dar atenção apenas aos P2W, deixando de jogar Duel Links por um dia mostrando que estavam cansados de serem explorados em um jogo totalmente desigual. Tudo isso pela quantidade exacerbada de Caixas que chegavam duas vezes por mês.

Na grande maioria das vezes, as cartas eram ótimas URs que entrariam facilmente para o meta game, e mesmo que todos os jogadores recebessem 500 gemas por box isso não daria para nada. Com essa quantia é possível abrir dez pacotes, se vier a carta que o jogador quer, teria de juntar gema para abrir novamente.

O conselho que todos davam era abrir apenas um pacote por vez gastando, ao invés de 500 gemas apenas 50, então caso viesse a carta desejada teria economizado muito mais do que ter gasto de uma vez.

Como eu disse, a estratégia deu certo para a empresa e apenas alguns jogadores que conseguiram usar da paciência para montar os decks metas, conseguiu bons resultados. Foi o que fiz, coragem de recomeçar do zero.

Duel links – o jogo mais amado e odiado
Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links. Box Recentemente Lançados.

Duelos JxJ

Duel Links – O Jogo Mais Amado E Odiado
Foto Reprodução: Yu-Gi-Oh! Duel Links. JxJ.

Aqui podemos acessar diversas alas do jogo para duelar contra amigos, ver reprises, montar salas de duelo ou duelar contra desconhecidos através do sistema PvP, ou a ranked que alguns detestam.

O detestar não é um sentimento qualquer, como expliquei mais acima, isso se deve aos tempos conturbados que perseguem a empresa que pecou muito, como sempre. Deixando metas impossíveis de vencer no auge por tempos, até finalmente nerfar a duas cartas no deck.

Não pense que isso mudou, ainda há nerf de muitas cartas de box bem recentes! Nem acreditei quando reabri o jogo para dar uma olhada e vi a quantidade de cartas que podem ser adicionadas ao deck, com quantidade reduzida para dois.

Para muitos que utilizavam dos metas nerfados foi um verdadeiro golpe certeiro, muitos ameaçaram deixar de jogar DL e no entanto, perduram até hoje no mundo de Links.

Outros apenas abriam o JxJ para brincar e se divertir na ranked para não ficar estressado, mas foi dessa forma que pessoas saíram irritadas de lá – no começo do jogo, porque a conexão vivia caindo. Você prestes a vencer, e dá uma falha. Sim, é de deixar qualquer pessoa louca.

Eu ia torcendo para vir um deck mais fraco para vencer, porque os metas de Spellbooks nos fazia dormir na partida de tanto efeito que aquelas cartinhas possuem. Ninguém merece ver aquele tanto de ativação, nem o pior inimigo.

Em 2018, a Konami entregou um sistema um tanto peculiar, que consiste apenas após o duelo. Você dá Like para o adversário, geralmente o faziam quando a pessoa era derrotada para gerar uma provocação. Não era essa a intenção, mas foi o que muitos captaram com isso.

O que ainda deve costumar acontecer, é sobre o duelo e o deck do oponente. Era só abaixar a carta do meta e o outro cometia um rage quit, entregando a vitória; eu agradecia quando ocorria. É compreensível que a mão também possa vir ruim.

Era bom usar o Renunciado para roubar o monstro mais poderoso do oponente para si, vencendo a partida tranquilamente e sem peso algum na consciência. É uma divertida sensação.

No Recruta até o Ouro, é terra de ninguém, pessoal surge com decks de 30 cartas e todas completamente aleatórias que chega a ser bem engraçado, mas muitos deles conseguem segurar duelo ou vencer por deck out do oponente, que em sua maioria vem apenas com 20 ou 22 cartas no deck.

Do Platina até o chegar em King Of Games, são puramente decks metas com várias estratégias diferentes atribuídas pelos jogadores que ali estão. Chegar até esse patamar é difícil, de verdade, e requer muita paciência e tempo administrado no jogo para com as gemas.

Conclusão

Duel Links, é um dos jogos mobile mais baixado e famoso, sendo capaz de ter reunido diversos jogadores do mundo todo, realizado torneios e muitas outras coisas mais. A Konami lucrou e ainda lucra com o dinheiro investido de players que gostam de montar decks para obter mais competitividade.

Entretanto, o jogo e a empresa sofreram duras críticas quando as gemas começaram a se esvair conforme cada box chegava, nem todos investiam dinheiro, apenas tempo e foi o estopim para gerar revolta nas redes sociais.

O PvP é, de fato, desequilibrado e com muitos aspectos negativos. Tiveram de nerfar cartas a 3 porque ainda atrapalhava o jogo do outro, impedindo de fazer qualquer tipo de jogada. É uma lástima dizer isso, mas eu fui uma das pessoas que vencia rapidamente por ter um deck meta. Sem grana.

Ainda assim, com novas oportunidades de montar estruturais e dicas pela internet, foi possível poupar quantias consideráveis das gemas. O que ninguém deve admitir até hoje é o fato de a empresa ignorar os seus jogadores.

Nem fico surpresa com o fato de muitos reclamarem com razão, até hoje, sobre essas atitudes da Konami, que com protestos foi sendo reconhecida como Komoney.

Falar sobre esse jogo depois de quase dois anos sem jogá-lo foi um pouquinho nostálgico, sim. Até a OST de Duel Monsters, primeiro mundo me fez sentir uma pontada de sentimento antigo. Você que não joga mais ainda senta falta ou enjoou?

Muitos acumulam horas farmando personagens apenas para conseguir gemas e cartas novas, outros desgostam das recompensas de level up por serem inúteis, mas embora muitas tenham se mostrado úteis à longo prazo, tornaram-se cartas nerfadas e esquecidas.

Eventos foram repetidos mais de três vezes, causando incomodo com tal atitude e com razão.

A Konami pecou muito em diversos quesitos nesse jogo, não foi falta de planejamento apenas deveriam voltar a dar mais atenção ao público que consome seus jogos há anos. Castlevania, por exemplo, deixaram de lado por muito tempo e talvez no futuro, aconteça o mesmo com Duel Links.

Você poderá gostar de Resident Evil Village: Novo jogo da Capcom será dublado em portugês.

Revelado em primeira mão no programa Multiverso do canal Loading, Peter Fabiano, Produtor executivo do game Resident Evil Village, preparou um vídeo especial só para informar, que o jogo será o primeiro da franquia, em 25 anos, a ter dublagem em português.

Ficou interessado? Venha ler mais sobre, aqui.

Para ficar por dentro de todas as novidades, acesse o Facebook.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More