Snowpiercer agora é uma série da Netflix, e o anúncio já veio com um trailer

A essa altura do campeonato, todos vocês já devem saber daquelas façanhas históricas que o diretor sul-coreano Bong Joon-ho realizou com Parasite. Além de ser a primeira produção sul-coreana indicada a qualquer categoria nos Academy Awards, estrangeira a levar o Oscar de Melhor Filme, sem falar que marcou a primeira ocasião em que toda a equipe do 1 Real concordou com um review do Galdino.

A premiação transformou o cineasta em uma sensação global, e logo no dia seguinte a prestigiada emissora de TV por assinatura HBO anunciou que adaptaria Parasite como uma minissérie estrelando Mark Ruffalo e produzida pelo próprio Joon-ho. Aparentemente a emissora TNT também tinha planos para o cineasta, que dizem respeito a uma obra não tão notória mas igualmente sensacional.

Como a própria manchete já disse, estamos falando de uma nova versão de Snowpiercer.

Isso mesmo, o cult classic de ficção científica O Expresso do Amanhã (Snowpiercer) — baseado na graphic novel francesa O PerfuraNeve (Le Transperceneige), de Jacques Lob — se tornou uma série que contará com o próprio Bong Joon-ho na produção e será distribuída internacionalmente pela Netflix. Eu sinceramente não fazia a menor ideia de que isso estava acontecendo, mas o trailer oficial me deixou curioso de uma forma até positiva. Confiram por si mesmos:

Além do envolvimento do Bongy Boy como produtor executivo, esse trailer mostra diversos fatores que aplacaram (ainda que parcialmente) meu medo dessa nova adaptação de Snowpiercer servir apenas para renovar o meme “Netflix Adaptation” por mais três meses: a equipe de produção claramente está fazendo o possível para que a nova série tenha uma identidade visual própria, incorporando elementos tanto da graphic novel e do filme original a uma estética art deco que me lembra o último Prey; a sugestão de que os temas alegóricos do filme original serão abordados com mais nuance pela nova obra; e a presença da deusa Jennifer Connelly porque sim.

Sobre Snowpiercer

A premissa de todas as encarnações de Snowpiercer pode ser resumida como a resposta para a pergunta “como seria uma distopia situada em um único trem?”

Após uma catástrofe climática causar uma nova Era do Gelo, o que restou da humanidade foi confinado à gigantesca locomotiva autossuficiente que dá nome à obra. A sociedade formada dentro dessa locomotiva é altamente estratificada: enquanto os ricos habitam os vagões dianteiros e são tratados de uma forma que faria a primeira classe em voos internacionais parecer a classe econômica, a população pobre fica amontoada nos insalubres vagões traseiros e tem que se contentar com rações de procedência duvidosa sem direito de reclamar. Naturalmente, os habitantes dos vagões traseiros decidem dar um basta nisso e começam uma violenta cruzada rumo à ponta do trem.

Não posso falar mais que isso sem dar spoilers, então recomendo que vocês leiam a graphic novel (que está disponível na Amazon) ou assistam o filme de 2013 (que por algum motivo não está mais disponível na Netflix).

Quanto à nova versão de Snowpiercer, felizmente não teremos que esperar muito tempo. O primeiro episódio da série sai na Netflix dia 25 de maio, e podemos esperar lançamentos semanais a partir daí.