Anúncio Publicitário

Emily is away e a empatia com o inexistente

Emily is away é um romance interativo no qual você assume seu próprio personagem que aparentemente está (ou não) apaixonado por uma menina chamada Emily. O jogo se passa em um chat no qual você conversa com ela, porém apenas pode responder e interagir com ela nas opções que o jogo te possibilita.

O que me surpreendeu pra um jogo indie é o enredo, algo não muito diferente da maioria dos jogos independentes. Emily is away é uma das experiências mais tristes que já tive em jogos, a forma com que você assume o papel do seu personagem em coisa de 5 minutos é algo extremamente surreal. Você termina o jogo e é como se você realmente estivesse passado por isso, o que normalmente é algo que acontece com todo mundo na adolescência ou até mesmo na fase adulta da vida.

Ter o coração partido por alguém que você jurou amar e cuidar é uma das piores coisas do mundo e ver essa pessoa feliz com outra, mesmo sabendo que vocês nunca vão ficar juntos é realmente algo que poucas pessoas conseguem aguentar. Emily é a menina que você sempre gostou, mas vocês nunca vão ser felizes juntos. Eu acho que todo mundo já teve uma Emily, ou até mesmo já foi uma.

Poucos jogos conseguem passar a sensação de empatia absoluta para quem está jogando, alguns até conseguem mas logo o sentimento passa, com Emily is away é algo totalmente diferente. Você se vê em situações que parecem simples, afinal quem nunca passou por uma “DR” com a pessoa que gosta? Mas não é bem assim, você está em um universo fictício e mesmo assim seu coração palpita e seus olhos enchem de lágrima quando chega a hora de mandar um “Adeus” e logo após você percebe que “Emily ficou ausente”.

Para os interessados em passar pela experiência que Emily is away proporciona basta baixar o jogo que é gratuito na Steam.

Ynaê Couvo