Anúncio Publicitário

Drive – A Simplicidade da Perfeição

Drive é um filme que se trata de solidão, escolhas, traição, lealdade, violência, corrupção mas acima de tudo é uma história de amor.


Um simbolismo usado para desenvolver a trama e o personagem principal é o conto “O Escorpião e o Sapo” que é citada no filme, e durante toda a trama é vista essa relação com o conto.

O escorpião aproximou-se do sapo que estava à beira do rio. Como não sabia nadar,

pediu uma carona para chegar à outra margem. Desconfiado, o sapo respondeu: “Ora,
escorpião, só se eu fosse tolo demais! Você é traiçoeiro, vai me picar, soltar o seu
veneno e eu vou morrer.”
Mesmo assim o escorpião insistiu, com o argumento lógico de que se picasse o sapo
ambos morreriam. Com promessas de que poderia ficar tranquilo, o sapo cedeu,
acomodou o escorpião em suas costas e começou a nadar.
Ao fim da travessia, o escorpião cravou o seu ferrão mortal no sapo e saltou ileso em
terra firme.
Atingido pelo veneno e já começando a afundar, o sapo desesperado quis saber o porquê
de tamanha crueldade. E o escorpião respondeu friamente:

– Porque essa é a minha natureza!

Durante o filme o protagonista utiliza uma jaqueta com um escorpião bordado em suas costas, e ele sempre tenta esconder sua verdadeira natureza, mas no final ele não consegue esconder quem ele realmente é, ele acaba se envolvendo com Irene e os dois afundam. Outra cena que remete ao conto é o final [CUIDADO COM O SPOILER CASO VOCÊ NÃO TENHA VISTO] em que Bernie promete não matar Driver, mas quando ele entrega o dinheiro esfaqueia Driver, assim como no conto.[FIM DO SPOILER]

Mas a grande questão deste artigo é, o que torna esse filme tão especial? É isso que irei mostrar a vocês hoje.

Drive consegue ser um filme diferente de vários, nele temos vários elementos diferentes que quase nunca vemos em filmes. O modo de como a história é desenvolvida através da imagem e do silêncio é simplesmente fantástica. Ver um personagem evoluindo, criando emoções e se tornando humano novamente é algo que mais cativa nesse filme. Ele pode ser um tanto parado em algumas partes, mas isso não vai deixar de te prender o olho no filme.

Estamos quase perto do aniversário de 7 anos que o filme foi lançado, e a cada dia mais ele vem mostrando para nós o quanto Refn (diretor) pensou em tudo, cada detalhe e cena. O olhar mais clínico do projeto Every Frame a Painting nos mostrou algo incrível sobre o filme. O resultado de seu vídeo nos mostra como as cenas são os responsáveis por trazer tanta vida a uma obra que tem seu desenrolar parado. Confira:

Só por uma divisão da tela usando um sistema de quadrantes conseguimos ver que o Refn conseguiu contar histórias diferentes e simultâneas no mesmo plano, através de gestos, expressões e até mesmo pela sua paleta de cores, que já irei explicar para vocês. O vídeo nos mostra como ficamos tão presos e focados no filme, como tudo tem vida. Isso é uma das coisas que tornam esse filme um dos melhores do últimos tempos, tanto que é o meu filme preferido.

Você sabe porque os filmes do Nicolas Winding Refn são cheios de tonalidades cheias de neon? Refn é daltônico.

“Eu não consigo ver os meios-tons das cores. É por isso que todos os meus filmes são muito contrastados, se não fosse assim não conseguira vê-los” Disse o diretor ao IMDb. Ele também foi questionado em 2013 em um Reddit AMA qual era sua paleta de cores favorita. “Não sei, sou daltônico”, respondeu o diretor.

Vou deixar bem claro que ser daltônico não é um grande problema. Beethoven quando surdo, compôs obras grandiosas! Refn sabe que suas limitações biológicas não iriam interferir seu sonho (Isso aqui é uma frase motivadora, nunca deixe de acreditar nos seus sonhos por limitações biológicas ou afins.). Ele criou uma própria lógica visual para seus filmes, que consegue conduzir o espectador até a narrativa, com uma paleta de cores bem saturada.

Esse vídeo mostra para nós como a cor é utilizada nos filmes de Refn, a emoção do momento, o local, tudo o que o diretor quis passar na cena. Confira:

Realmente, as cenas de Refn são maravilhosas.

Drive é um filme que apaixona o espectador, mexe com seus sentimentos e pensamentos. As imagens dele tocam com quem assiste, como a cena onde o Driver leva a Irene e seu filho para o rio. A combinação de cores, imagens, expressões e trilha sonora tornam esse filme especial. É algo que você vai assistir e pensar que é único, e você provavelmente vai querer muito mais filmes no mesmo estilo de Drive.

Algo que quero ressaltar aqui é a trilha sonora do filme, onde temos Kavinsky, Eletric Youth Chromatics, M83 e vários outros. Para quem não conhece, eles são famosos por fazerem músicas ao estilo Synthwave (New Retro Wave), que consiste em músicas eletrônicas ao estilo dos anos 80. Esse tipo de música realmente combina muito com o filme, tornando as cenas mais empolgantes e com vida. Confira uma música que se trata do filme e foi utilizada em um vídeo tributo ao filme The Best Thing – Eletric Youth:

Em minha opinião, Drive é o clássico atual, um filme que você não espera muito e acaba se surpreendendo cada vez mais que você assiste. O filme certamente é um dos melhores já feitos nos últimos tempos, não consigo pensar em um que o deixe para trás. Caso você se interesse pelo filme, assista. Você não irá se arrepender, disso eu tenho certeza. E caso procure filmes nesse mesmo estilo, aconselho a procurar mais filmes do Refn, como: Only God Forgives e The Neon Demon.

Drive estará disponível no Netflix até o dia 31/12, acredito que talvez ele possa voltar futuramente, mas como não tenho certeza não perca tempo e não deixe de assistir essa fantástica experiencia que Drive te proporcionará. Na Netflix também está disponível no serviço de streaming Netflix. Até comentaria aqui com vocês se em outras plataformas estão disponíveis os filmes, mas não tenho certeza.

 

Drive  é dirigido por Nicolas Winding Refn e foi lançado em 2011 tendo ganho 11 prêmios