É estranho quando você está em uma situação desesperadora, o tempo passa devagar, quase parando.

– Hey, acorda. Vai tomar café, eu vou sair daqui a pouco.

O dia está lindo, apesar de estar com um sol forte, o clima está agradável. Eu tomo meu café às pressas, ignorando a agradável voz daquela senhora que me pede para ser educado.

– Devagar, você não tem compromissos. Vai acabar se entalando.

Engasgo com um pedaço de pão. Nada que um tapa na costa não resolva.

– Viu, eu falei, agora vai tomar banho, eu vou sair.

Eu parto para o banheiro ignorando novamente os avisos dela sobre correr após comer.

– Hey Noni, vai brincar hoje?

– Claro que vou!

– Chega ai então. Tá faltando um aqui pro jogo.

Corro até ficar exausto. Eu nunca me senti tão bem assim.

– Ha! Ha! Ha! Essa foi muito boa.

– Você viu a cara dela?

– Não para agora não, Ha! Ha!, ela tá vindo atrás da gente com aquela vassoura.

O tempo passa agradável, eu sinto como se estivesse sob uma cachoeira, em que suas águas são felicidades e alegrias, onde me banho em demasia e o tempo que fico embaixo dela nunca é suficiente.

A senhora que me acordou acena longe, apontando para seu braço. Eu percebo que estou com fome e já era hora do almoço. Me despeço de meus amigos e corro para casa.

Abruptamente, o sol radiante se esconde e uma forte chuva começa. Me vejo em meio a uma plantação morta e devastada. Apesar de perder minhas memórias, eu lembro que essa em específica, não continuava desse jeito. E nem deveria.

O clima esfria e o vento frio corta minha pele como se fosse finas lâminas de papel, eu corro em direção a minha casa, mas encontro apenas um local abandonado e sem vida. Toda a felicidade e inocência dão lugar ao desespero, eu começo a chorar, corro para todos os lados, mas não encontro ninguém. Eu grito em suplicando socorro na esperança que alguém me tire dessa tempestade, mas a única resposta que encontro é a solidão.

– Hey, acorda, você está chorando de novo.

Uma voz suave e doce me acorda. Tenho lágrimas em meus olhos. Que besteira, eu estava sonhando novamente. A mulher a minha frente sorri, enquanto passa seus dedos delicados em meu rosto, retirando as gotas salgadas que a pouco escorriam nele.

– Você vai se atrasar se continuar acordando tarde todo dia. Mais tarde nós vamos procurar um especialista para resolver esse seu problema.

É estranho ter esses sonhos, você os sente como se fossem reais. Mas porque eles não seriam? Eu ignoro esses pensamentos.

Mais um dia começa e eu sinto que algo está errado.

Olá, eu sou Matheus Silva, um dos redatores deste site. Eu não sou muito bom com contos, mas adoro eles, então, eu resolvi criar uma série. Ainda não sei quantos episódios pretendo lançar, mas eu gostaria de avisar que eu me inspirei em Kentaro Miura (Berserk) então cuidado com os hiatos, hehe.

Enfim, caso gostem dos contos ou leiam até o final, eu gostaria do feedback de vocês. Comentários, críticas, sugestões, eu vou juntar isso tudo para que eu possa entregar o melhor material a vocês.

É isso. Obrigado pela leitura e não sei quando vou lançar o próximo episódio, então por favor, não me xinguem. Até semana que vem. Bye.

Matheus Silva

Matheus Silva

Auxiliar de cortador de cana em 1 Real a Hora
Eu não corto cana, mas é como se eu cortasse cana.
Matheus Silva