AVISO: No texto, contém spoilers de O Despertar da Força e Os Últimos Jedi.

No episódio VII de Star Wars fomos apresentados ao novo vilão dessa trilogia, Kylo Ren, e muitos fãs acabaram não gostando do personagem. O principal motivo foi por ele não ser que nem Darth Vader, por ser mimado e descontrolado, com bastante raiva e conflito dentro de si. Mas, será que ele é mesmo ruim como dizem? Em Os Últimos Jedi, vimos que não.

Imagem relacionada

Primeiramente, é importante deixar claro quem Kylo Ren não foi criado para ser um Vader 2.0 ou substituto. Kylo usa as roupas pretas, a máscara, apenas para ter o mesmo respeito que o seu avô e ter ele como guia, um mentor. Sua devoção à imagem que Vader era o faz procurar ser igual através das vestimentas, talvez para acreditar em si mesmo, sem ter medo de não conseguir alcançar seu objetivo. Porém, no novo episódio vimos que ele larga a máscara para ter uma identidade própria, seguindo o que nos foi revelado em O Despertar da Força: ele não quer ser igual a Vader, ele quer ser tão poderoso quanto ele. E sim, ele tem potencial para isso.

Nós já somos apresentados ao seu poder logo nos dez primeiros minutos de O Despertar da Força, quando ele consegue parar um tiro de blaster usando a força. Não só isso, ele também decide matar os aldeões de Jakku e, futuramente, tem força o suficiente para matar o seu próprio pai, para esquecer seu passado e conseguir seguir seu legado. Além disso, em Os Últimos Jedi, ele já provou ser um ótimo vilão ao matar Snoke só para tomar o lugar dele de líder supremo. Enquanto Vader era uma marionete de Palpatine, Kylo se voltou contra isso e cortou (literalmente) as cordas que o controlava. Também notamos que, em sua luta contra Luke, ele ataca com o intuito de matar o seu antigo mestre (antes de descobrir que ele era um holograma da força), ou seja, o tanto de ódio, raiva que tem dentro dele o torna forte o bastante para realizar seus objetivos.

Imagem relacionada

Na luta contra a Rey no episódio VII, Kylo estava ferido pela balestra wookie e podemos notar que o tiro incomodou várias vezes durante a luta, visto que ele se batia para remover o excesso de sangue no local. Outro ponto é o estilo de luta dele, que estava bem precário na hora, tanto que Snoke o chama para concluir seu treinamento. No episódio VIII, vemos que ele melhorou sua técnica de sabre durante a luta dele contra os guardas imperiais de Snoke. O maior problema de Kylo é sua raiva descontrolada, que acaba afetando bastante seu emocional. Esse ponto o torna diferente de qualquer vilão já visto na saga, se ele aprender a direcionar essa raiva, provavelmente se torna um dos melhores vilões de Star Wars.

Resultado de imagem para kylo ren the last jedi

Em suma, Kylo Ren ainda é um vilão em construção. Os surtos, a raiva descontrolada, as explosões sentimentais, tudo isso serve para mostrar que ele ainda está se moldando. E mesmo com esses surtos, ele conseguiu provar todo seu potencial nesse último filme da saga. O grande problema é que o público insiste em comparar o personagem com Vader, e isso não se resume só em Star Wars, se resume a tudo: as pessoas tem essa mania de comparar o novo com o velho, e acabam não querendo aceitar por não ser semelhante. Agora, só nos resta ver a evolução final desse personagem e torcer para que ele se torne tão icônico e reverenciado como Lorde Vader é até os dias de hoje.

José Victor
Segue ae!

José Victor

Redator Chefe em 1 Real a Hora
Meu sonho é me tornar um cavaleiro Jedi mas, enquanto isso não acontece, estudo odontologia e escrevo uns textos aqui pro site.
José Victor
Segue ae!