Desde os meus 5 anos eu venho acompanhando Star Wars em todas as mídias possíveis, e eu acabava reparando que em jogos e quadrinhos eram bem diferentes, algo bom e que eu adoraria ver no cinema. Felizmente, Rian Johnson conseguiu trazer isso as telas, diferente e muito ousado, Os Últimos Jedi é inovador e respeita o tradicionalismo da saga.

Os personagens nesse filme são mais bem desenvolvidos, Rey aprende o significado de ser uma Jedi e o que é a Força. Poe também tem mais cena e desenvolvimento, podemos ver mais dele e de seu temperamento, no último filme vimos bem pouco do personagem. No filme, conhecemos Rose, uma personagem que cativa e tem uma parte importante na história do filme, que acaba ajudando Finn. O passado de Kylo e sua relação com Luke também é uma das coisas manifestadas do filme.

Em geral, todos tiveram seu tempo bem distribuídos em tela, com suas sub-tramas bem feitas e interligadas, algo que já não aconteceu muito em O Despertar da Força.

 Let the past die. Kill it, if you have to. That’s the only way to become what you are meant to be.

A trama do filme é boa, tensa e muito ousada e audaciosa. Algo que chama a atenção é que o longa sabe bem como usar seu tempo entre quebra de um clima mais pesado para um humor mais leve e rapidamente voltar, algo que na maioria dos filmes é muito mal-feito, nesse ficou perfeito. O vilão ainda não é um Darth Vader, mas funciona muito bem, é um momento muito importante para o futuro da personagem. A história é uma ponte para o terceiro filme que impecavelmente funciona, te dando muitas esperanças para à continuidade. (Optei por não falar muito da história para evitar spoilers)

Existem momentos de encher os olhos de lágrimas, não vou mentir, o filme me fez ficar assim. Para todo fã de Star Wars, esse filme pode ser, se não um dos melhores, o melhor da saga Skywalker.

Os efeitos especiais estão magníficos, poucas partes são percebidas as famosas telas-verdes, mas é irrelevante. O uso de computação gráfica misturada com efeitos práticos dão um toque suave às cenas do filme, o que faz parecer tudo muito real. Você pode até enganchar nesses efeitos e entrar na realidade do filme, tornando-se uma experiencia totalmente incrível.

Imagem relacionadaA fotografia do filme é completamente sensacional. Que nem em Blade Runner, dá uma vontade de colocar em um quadro todos os frames do filme. Sem dúvidas, isso foi o mais bem trabalhado em um filme da franquia. Cenários que ajudam na emoção do filme, com a junção das cores escolhidas, sendo muito belos e devidamente usados. É realmente uma obra da sétima arte. Rian também usa muito da simetria, e torna mais fabuloso ainda cada parte do filme.

Resultado de imagem para john williams the last jediAh, a trilha-sonora. Acho que eu não preciso nem comentar, né? John Williams dá seu show com uma trilha que respeita a tradição da franquia, sendo épica e belíssima, como de costume. Caso queira dar uma conferida, veja aqui:

Após um filme desses, é até difícil escrever o quão grandioso ele é, acredito que nem palavras podem dizer o quão majestoso e glorioso foi esse momento de pura felicidade. É como se um sonho de infância tivesse sido realizado, e eu não sei se poderia ter sido melhor. O filme é tudo o que Star Wars é, e sempre precisou ter, Força.

Confira o trailer do filme e sua nota logo abaixo

Eduardo Kuntz Fazolin

Sou um cara que paga de cinéfilo mas adoro assistir altos blockbuster e filmes do Adam Sandler. Também adoro escrever sobre o que amo, tipo Ryan Gosling ou Ezra Miller. Minha santíssima trindade é Snyder, Renf e Villeneuve.