Vivemos numa época em que superheróis dominam todas as mídias e universo compartilhado é o carro-chefe dessas adaptações. Após a Marvel Studios introduzir seu universo compartilhado com os filmes, a distinta concorrência não ficou pra trás.

Nessa semana um evento chamou a atenção dos fãs de séries de superheróis, o crossover entre as quatro séries da DC transmitidas na CW. Crisis on Earth X é uma adaptação de uma história entre a Liga da Justiça, a Sociedade da Justiça e os Combatentes da Liberdade que foi publicada em plena era de bronze.

O ultimo crossover não se saiu muito bem, mas dessa vez as coisas foram bem diferentes. O evento foi feito com a intenção de ser isolado, sem precisar que o telespectador precise acompanhar todas as séries. Logo de inicio os protagonistas são apresentados de uma forma bem sútil. E a trama principal passa a se desenrolar de maneira que os 4 episódios se completem como se fossem um filme de mais de 2 horas.

O motivo principal da reunião dos heróis é o casamento de Barry Allen e Iris West. Com todos os principais heróis da Terra 1 reunidos no mesmo lugar, a situação parece perfeita para derrotá-los todos de uma vez, logo um grupo de soldados nazistas surge na cerimônia com um ataque direto. Os soldados são liderados por um Arqueiro e uma Kriptoniana, que com o decorrer da histórias são revelados como Oliver Queen e Kara Zor-El da Terra X, um mundo onde os nazistas venceram a guerra. Acompanhados de Eobard Thawne, os vilões chegam impondo o terror.

Esse evento tinha tudo pra dar errado, já que é uma ideia arriscada e complicada de se adaptar em séries de baixo orçamento, mas na verdade eles se saíram muito bem. Tivemos cenas de ação bem coreografadas, cenas bem humoradas, a interação dos personagens de séries diferentes foi incrível, varias referências em todo o crossover, além de cenas emocionantes.

Mas nem tudo são flores, de negativo tivemos cenas com péssimos efeitos especiais, além de cenas desnecessárias com as namoradas do Flash e do Arqueiro, uma resolução simples, além é claro de outros detalhes toscos que se explicam com o baixo orçamento.

Mas apesar desses problemas foi revigorante ver todos esses personagens da DC se encontrando e lutando lado a lado contra vilões, bem ao estilo gibi. Pra mim séries de super-heróis devem ser divertidas mesmo e tentar passar a sensação de leitura de quadrinho como foi o caso desse crossover. Fico feliz de saber que este universo compartilhado funciona muito bem, ao contrário de certos universos compartilhados do cinema.

 

Yago Feitosa

Yago Feitosa

CO-CRIADOR DESSA BAGAÇA, EDITOR E QUALQUER OUTRO BICO QUE EU PRECISE SER.
Yago Feitosa