Uma obra onde a ação te leva a uma grande reflexão sobre a violência dos conflitos bélicos é um grande filme de guerra. Planeta dos Macacos A Guerra faz exatamente isso. Toda a violência dos primeiros minutos nos levam a contemplação dos momentos após a batalha onde se reúnem os mortos e os feridos do bando de Caesar. Um cenário triste e desolador que da o tom de todos os 140min de filme.

O longa alterna entre ação, drama e alívios cômicos (de um humor um tanto triste que condiz totalmente com a história que nos está sendo apresentada) que ajudam a manter um bom ritmo. Contudo, as grandes e belas cenas de ação aparecem um tanto espaçadas em certos momentos, o que pode desagradar quem não esteja no clima para apreciar os dramas pessoais de Caesar em busca de vingança contra o homem que atacou seu bando, O Coronel (Wood Harrerson).

A interpretação do ator Andy Serkins no papel de Caesar está incrível como esperado do ótimo ator. Contudo, Steve Zahn rouba a cena como “bad ape”, personagem responsável pela maior parte dos momentos mais descontraídos e engraçados do filme.

Planeta dos Macacos A Guerra é um dos melhores filmes do ano, tendo tudo o que um grande blockbuster de ação precisa ter e indo além.

Andy Serkys declarou “Não tem nada de previsível nesse filme”, sobre o filme na coletiva de imprensa em que nossa equipe estava presente, e completou “O tema principal desse filme é a empatia”. O ator, que interpreta o macaco César, falou também sobre a sua experiência nas filmagens: “Eu amo esse mundo, eu amo a franquia e a metáfora com os macacos”.

O longa foi realizado em 5 meses e meio, período que Serkis definiu como uma jornada incrível.”A filmagem foi muito sombria para o Cesar. Em todos os dias de set havia uma intensidade muito grande.”

Sobre o uso de computação gráfica, o ator elogiou os efeitos do novo filme, “muito mais aparentes e bem realizados”. “Tecnologia de movimento é apenas uma tecnologia, não é uma forma de atuar”, completou.

Planeta dos Macacos A Guerra estreia amanhã dia 3/08.