Se você é o tipo de pessoa que se interessa por RPGs, Jogos de estratégia e videogames, chances são que você se deparou com algum produto que tenha esse logo:

Mas o que é Warhammer 40,000?

Bem…

“É o 41º Milênio. Por mais de cem séculos, o Imperador da Humanidade está imóvel no Trono de Ouro. Ele é o mestre da humanidade pela vontade dos deuses e mestre de um milhão de mundos pelo poder de seu inesgotável exército. Ele é um cadáver apodrecido, contorcendo-se invisivelmente com o poder da “Era das Trevas da Tecnologia”. Ele é o Senhor Carniça do vasto Império da humanidade.

São sacrificadas mais de mil almas, todos os dias, para manter o Imperador vivo.

No entanto, mesmo em Seu estado, o Imperador continua sua eterna vigilância.

Poderosas tropas de combate atravessam o miasma infestado pelos demônios do Warp, o único caminho entre as estrelas distantes, o caminho iluminado pelo Astronomicon, a manifestação psíquica da vontade do Imperador. Grandes exércitos batalham em nome do Imperador em incontáveis mundos.

Entre os seus soldados estão o Adeptus Astartes, os Space Marines, os super-guerreiros bioengenhados. Seus companheiros são legiões: a Guarda Imperial e inúmeras forças de defesa planetária, a sempre vigilante Inquisição e os técnicos-sacerdotes do Adeptus Mechanicus para citar apenas alguns. Mas, para todos os seus soldados, eles são apenas o suficiente para segurar a ameaça sempre presente para a humanidade de xenos, hereges, mutantes – e muito, muito pior.


Ser um homem nesses tempos é ser um entre incontáveis bilhões . É viver no mais cruel e mais sangrento regime imaginável. Estes são os contos daqueles tempos. Esqueça o poder da tecnologia e da ciência, pois tanto foi esquecido, para nunca ser reapredido. Esqueça a promessa de progresso e compreensão, pois no sombrio futuro só há guerra. Não há paz entre as estrelas, apenas uma eternidade de carnificina e matança, e o riso dos deuses sedentos “.

O Imperador no Trono de Ouro.

Warhammer 40,000  surgiu nos anos 1980, quando uma empresa responsável por fazer acessórios e jogos de tabuleiro, a Games Workshop, lançou um jogo chamado “Warhammer Fantasy Battle“. Esse jogo pertence ao gênero “wargame”, onde os jogadores usam pequenas miniaturas que representem cenários, veículos e exércitos e simulam batalhas. Vale mencionar que foi graças aos wargames que outros tipos de jogos foram criados, como por exemplo Dungeons and Dragons.

O que diferenciou Warhammer Fantasy Battle de outros jogos foi o fato dele ter uma temática de fantasia ao invés de uma temática histórica, como os wargames tradicionais. No lugar de Legionários romanos, soldados modernos ou exércitos napoleônicos, Warhammer tinha orcs, elfos, anões, dragões e todo tipo de criatura fantasiosa. Havia outros jogos com temáticas de fantasia, mas Warhammer se destacou aos demais, possivelmente por suas miniaturas de alta qualidade.

Miniaturas de Warhammer 40,000

Foi então que, com o sucesso de Warhammer Fantasy Battles, a Games Workshop solicitou a um de seus designers, Rick Priestley, que criasse outro wargame. Mas esse jogo teria um o foco em ficção cientifica, com espaçonaves, alienígenas, robôs e etc.

Rick já estava trabalhando em um jogo chamado Rogue Trader,  com isso, ele incluiu elementos de Warhammer em seu jogo.

Em 1987, foi lançado o jogo Warhammer 40,000: Rogue Trader. O jogo fez bastante sucesso, mas originalmente ele foi pensado como um RPG com jogabilidade de um wargame. O público adorou o jogo, mas o interesse pela parte de wargame foi maior do que a de RPG. Em futuras edições Warhammer 40,000 passou a ser um wargame mais tradicional enquanto Rogue Trader passou a ser um jogo separado.

Space Marines, prontos para lutar em nome do Imperador.

O que faz Warhammer 40,000 ser interessante é o fato de ser uma fusão de diferentes elementos que normalmente nunca se encontrariam. Aliens, orcs, elfos, magia, robôs, zumbis, demônios, alienígenas comunistas com cabeça de peixe que pilotam robôs gigantes mas são uma merda em combate físico (Sim, você não leu errado). Mas acho que a melhor maneira de definir Warhammer 40,000 é imaginar todas as coisas mais nerds possíveis e enfiar tudo num liquidificador, e claro, acrescentando um pouco de HEAVY METAL para dar um gosto extra…

Adepta Sororita, pronta para exterminar os inimigos da humanidade!

É muito fácil identificar as influencias. Franquias como Star Wars, Star Trek, Alien, Evil Dead, Exterminador do Futuro, Senhor dos Anéis, Tropas Estrelares, Duna, Elric de Melniboné, H.P Lovecraft, Juiz Dredd, mangás e animes e até mesmo eventos históricos. Tudo isso e muito mais serviu como inspiração para a criação e evolução de Warhammer 40,000.

Agora, que você já conhece um pouco sobre a história do jogo, está na hora de explorar o lado mais interessante(pelo menos em minha opinião) que é a historia de seu universo.

O Inicio da Grande Cruzada.

Como você já leu no início desse artigo, o jogo se passa no futuro distante, a humanidade passou por varias dificuldades e até mesmo por um apocalipse que fez com que boa parte dos avanços tecnológicos se perdesse para sempre. O planeta terra ficou devastado, em uma nova era das trevas, e o contato com diferentes colônias espaciais foi perdido.

Um homem, aparentemente imortal sendo referido como The Emperor of Mankind (O Imperador da humanidade) se revelou como um salvador. Ele possuía poderes psíquicos, uma grande força física, carisma sobrenatural e intelecto inigualável. O imperador unificou o planeta Terra e exterminou as tribos bárbaras que vagavam pelo mundo, resgatando os conceitos de civilização. Ele também iniciou uma cruzada intergaláctica que recapturou as colônias espaciais que haviam se rebelado. Junto com seus filhos, eles criaram o maior império da historia da humanidade.

THE GOD EMPEROR OF MANKIND

Entretanto, um dos seus filhos, Horus, corrompido pela influência negativa dos Deuses do Caos, liderou uma rebelião que quase destruiu o império. Com muito esforço e sacrifíco, o Imperador e seus aliados lutaram e venceram os traidores. Horus foi morto pelo próprio Imperador, porém ele foi mortalmente ferido.

Para sobreviver, o Imperador foi colocado no Trono de Ouro, uma maquina criada a milhares de anos, que consegue manter a essência psíquica do Imperador viva, ao custo de 1.000 almas por dia. Tal sacrifício parece absurdo, mas em realidade é um pequeno preço a pagar para manter o Imperador vivo.

Horus derrotou seu irmão, Sanguinius e agora se prepara para enfrentar seu pai…

Atualmente, o império está em ruína, cercado por seus inimigos e sem chance de ser reconstruído. A humanidade agora luta para sobreviver.

Claramente existem mais detalhes, mas esse artigo está ficando muito grande, então vamos deixar para a próxima vez. Aguarde por mais informações sobre o império e as facções inimigas. 

Warhammer não se resume apenas aos jogos de tabuleiros e miniaturas, existem centenas de livros e quadrinhos fenomenais como a série Horus Heresy, videogames como a série Dawn of War, RPGS e jogos de tabuleiro como Rogue Trader, Only war e Black Crusade e muito, muito mais. 

Isso sem contar com o conteúdo produzido pelos próprios fans, como por exemplo fan filmes:

Existem muitas formas de consumir produtos com o selo Warhammer. Muitas pessoas focam apenas nos livros, outros apenas querem as miniaturas para pintar ou colecionar e outros apenas os video games. Todas são formas validas de ser um fan de Warhammer, afinal esse universo oferece inúmeras possibilidades de ser aproveitado.

Isso conclui a introdução. Espero que esse artigo tenha despertado seu interesse, pois estaremos postando muito mais conteúdo sobre Warhammer!

Daniel Buccini

Publicitário, fotografo, cinegrafista, editor e etc.

Historiador de informações inúteis.

Cultista de Cthulhu nas horas vagas...