Atualmente vivemos em um momento de lutas por igualdade social, por respeito e liberdade.  Isso são coisas que já foram muito bem trabalhadas em quadrinhos como X-Men, Capitão América, Mulher Maravilha entre outros, mas parece que muita gente não conseguiu captar a mensagem que esses super heróis tentaram nos passar.

Representatividade significa representar politicamente os interesses de determinado grupo ou classe social, pena que para muitos é algo tratado como supérfluo ou até mesmo desnecessário. A internet é palco de muito ódio disfarçado de opinião, e a situação é a mesma quando se trata de algum personagem fora do “padrão”. 150623-miles-morales-1535_76eefefc348f2fbb5b41cfc612c32fc1.nbcnews-fp-1200-800

É algo muito triste ver algumas pessoas que se denominam Geeks serem tão intolerantes.  É algo assustador.  Poderia destacar alguns exemplos:   todas as vezes em que os X-Men tentaram nos mostrar que não tem nada de errado em ser diferente; todas as vezes em que o Capitão América lutou por liberdade e disseminou seu discurso não só pela América, mas pelo mundo.

O que estou tentando mostrar é que a representatividade sempre esteve presente.  Não foi preciso campanha em Twitter, em Facebook ou em qualquer outra rede social da atualidade.  Então por que todo esse ódio de hoje em dia? Acredito que pelo simples motivo de não gostar de algum movimento social, como por exemplo o movimento feminista, tem muita gente que idolatrou a Mulher Maravilha em sua infância mas hoje em dia com essa explosão atual do movimento feminista que está acontecendo eles acabaram por cismar com a personagem só por ela ser um dos símbolos mais importantes do poder feminino. tumblr_nsfztspelX1rc9pzho1_1280

Na lista de personagens que sofreram com essa ignorância de parte do público nós temos inclusive a Mulher Maravilha, que foi uma das primeiras e é uma das mais importantes inspirações tanto para meninos quanto para meninas mas principalmente para as meninas que foram encorajadas a praticarem coisas que na época eram exclusivamente masculinas, dentre elas esportes e outras atividades, além de ter sido um exemplo de autoconfiança e poder feminino.

Mas quando falo de representatividade, eu não quero apenas mostrar o empoderamento feminino.  Nós temos a representatividade negra que por incrível que pareça até hoje existem as pessoas que tiram sarro e agridem personagens por sua cor, por sua nacionalidade.  Temos também a representatividade LGBT, que é algo crucificado hoje em dia, o que é um absurdo. Lembro de uma campanha que pediam para o Capitão América ter um namorado, não vou colocar aqui minha opinião sobre isso, irei apenas deixar algumas coisas bem claras, muita gente começou a humilhar as pessoas que pediam para que isso acontecesse, muita gente usou o ódio maquiado de opinião para ofender não só os gays mas toda a comunidade LGBT.professorx_4

Muita gente não conseguiu simplesmente respeitar a escolha e a liberdade de expressão dos outros, o que é um ponto muito bom de se debater é essa tal liberdade de expressão, algumas pessoas precisam entender que se sua opinião desrespeita, humilha, ofende ou tira sarro de qualquer um ela não é uma opinião, ela é um discurso de ódio e como que nós vamos dar uma liberdade de expressão para alguém que nem ao menos sabe usá-la? Pois é.

Li um dia desses que as duas maiores empresas de quadrinhos estão sendo monstruosamente afetadas em vendas por simplesmente aderirem ao respeito e a igualdade.  Foram tantos comentários sem noção, feitos por pessoas que deveriam ouvir o que elas falam antes de publicarem em uma rede social, que causaram vergonha para o público Geek, público este que sempre conviveu com diferenças e soube muito bem respeitá-las. young4

Não estou dizendo que você tem que concordar com todas as mudanças, estou querendo dizer que respeitar é algo fundamental.  Você pode não concordar comigo, mas você tem que me respeitar, pois só assim nós podemos até chegar em um debate e em alguma conclusão.

Os quadrinhos sempre foram uma ótima forma de se quebrar alguns paradigmas e preconceitos que são colocados desde que somos crianças, se você lê os quadrinhos e se incomoda com uma personagem feminina sendo líder ou exercendo funções masculinizadas, se incomoda com negros ganhando seu espaço mais do que digno, se incomoda com personagens LGBTs tendo um maior destaque ou até mesmo protagonizando cenas de afeto, talvez você não esteja pronto para quebrar esses preconceitos, talvez você não devesse ler quadrinhos.