Em site chamado Rejected Princesses reuniram várias princesas que a Disney nunca usaram e provavelmente não vão usar, nele além de Imagens das princesas rejeitadas no estilo Disney, também é disponibilizado um breve resumo sobre a história de cada uma.

Onake Obavva (? – 1777)

Indiana, Campeã de Acerte a marmota , 1777-presente

  “Onake” Obavva foi uma mulher que lutou contra as forças de Hyder Ali, sozinha apenas com um pilão ,no reino de Chitradurga de Karnataka, India. Seu marido foi guarda de uma torre de vigilância no forte rochoso de Chitradurga.

Tsuruhime Ohori (1526-1543)

Japonesa, A Salvadora da Ilha de Omishima

Tsuruhime Ohori teve que assumir o comando em uma idade adiantada. Aos 16 anos, com o pai sacerdote morrendo de doença e de seus irmãos mais velhos mortos por invadir o território de Yoshitaka Ouchi, Tsuruhime ficou com duas opções: se submeter a Yoshitaka, ou declarar-se uma deusa viva e começar a massacrar alguns babacas.

Ranavalona I (1778-1861)

 Malgache, A versão feminina de Caligula

O ocidente a chama de versão feminina de Caligula, mas se metade do que eles dizem for verdade, ele é a versão masculina de Ranavalona.Esta cruel governante de Madagascar ontensivamente matou entre 30 e 50% de toda a população durante seu reinado por meios indizíveis — já simultaneamente, ela manteve seu país independente, repetidamente a defendeu das forças combinadas da Ingaterra e França, e instigou uma das primeiras revoluções industriais vistas fora da Europa. Ela, uh, também tentou fazer um gigante par de tesouras para fatiar invasores pela metade. Em partes desiguais conquistadora, protetora, e lunatica, ela pelo menos, não foi chata. 

Naziq al-Abid (1898-1959)

Síria, A espada de Damasco

  Naziq al-Abid tinha um dos melhores curriculos visto: falava cinco idiomas, fundou a Crescente Vermelha Síria(e meia-dúzia de outras organizações), primeira general mulher na história da Síria, e possivelmente mantém o record mundial de maior numero de vezes enviada para o exílio.

  

 

Hypatia (350~370? – 415)

Egípicia, A Matematica martirizada

Ela foi não só possivelmente a última cientista com acesso a aos livros da biblioteca de Alexandria, mas a primeira mulher matemática em toda a história. Ela também foi uma expert em astronomia, filosofia e física. Infelizmente, Hypatia foi assasinada por uma peble de cristãos fanáticos de forma horrivel, tornando sua história em um ponto de contenção por séculos a vir.

Boudica (20s?-60 CE)

Britânica, A Rainha caçadora de cabeças

No auge de seu poder, Roma uma vez considerou seriamente em desistir de explorar inteiramente as terras britânicas. A razão? Rainha Boudica, cujo a brutal onda de vingança a tornou o bicho-papão dos Romanos por gerações. Ela matou 70 mil pessoas, estabeleceu-se como mais famosa headhunter de todos os tempos- e a Britânia a idolatra por isto.

Khutulun (1260-1306)

Mongol, A Princesa Lutadora

Khutulun foi a mais famosa filha de Kaidu e prima de Kublai Khan. Khutulun insistia que qualquer homem que quisesse se casar com ela devia derrotá-la em uma luta, se perde-se o desafiante teria de presentea-la com um cavalo. Ela ganhou 10 mil cavalos derrotando pretendentes. Ganhou uma adaptação na série Marco Polo, interpretada por Claudia Kim.

Nzinga Mbande (1583-1663)

Angolana, Mãe da Angola

Indomável e inteligente soberana do povo, nascida em Cabassa, interior de Matamba, que altaneira e silenciosa conseguiu juntar vários povos na sua luta contra os invasores portugueses e resistiu até ao fim sem nunca ter sido capturada, tornando-se conhecida pela sua coragem e argúcia.

 Além de Princesas reais, o site também nos apresenta princesas da ficção

 

 Iara 

 Senhora do Lago

 Pescadores de toda parte do Brasil, de água doce ou salgada, contam histórias de moços que cederam aos encantos da bela Iara e terminaram afogados de paixão. Ela deixa sua casa no leito das águas no fim da tarde. Surge sedutora à flor das águas: metade mulher, metade peixe, cabelos longos enfeitados de flores vermelhas. Por vezes, ela assume a forma humana e sai em busca de vítimas.

 

Pasiphaë

Mãe do Minotauro

  Pasiphaë é mais conhecida por ter uma necessidade insaciável de ter relações sexuais com um touro. Não apenas qualquer touro, mas um touro que Poseidon deu a seu marido, o rei Minos. Assim diz a lenda, seu marido deveria sacrificar o touro de volta a Poseidon, mas decidiu mantê-lo. Em resposta, Poseidon chegou pra ela e disse: “Hey Pasiphaë, você sabe o que seria muito bom agora? um pênis de touro. “Então, ela pediu ao seu inventor tribunal, Daedalus, construir-lhe uma vaca de madeira oca para que ela pudesse ter relações sexuais com o touro. Mais tarde, ela deu à luz o Minotauro.

Mais informações sobre essas princesas e outras princesas rejeitadas acesse: rejectedprincesses.com

Essas princesas rejeitadas tem histórias muito mais interessante do que essas da disney, claro que tem algumas histórias que não dão pra ser adaptadas, mas tem algumas com muito potencial!