Procurarei dar o mínimo de informação para que novos
leitores possam se interessar por essa obra-prima, que é a Lenda de Ruff
Ghanor: O Garoto-Cabra. 
         Uma aldeia aparentemente pacata com gente simples que
possuía um mosteiro de clérigos adoradores de um santo protetor dos pobres. Até
ai, nada de surpreendente, mas Leonel Caldela – um dos principais nomes da
literatura fantástica brasileira da atualidade – conseguiu se aprofundar tanto
em sua história que faz qualquer pessoa abrir um imenso questionamento sobre as
decisões de cada personagem na trama e enriquecê-los de uma forma surpreendente.
            Não
é apenas a história de uma terra atormentada por um dragão vermelho e seu
exército de hobgoblins e criaturas malignas, mas também de pessoas que precisam
fazer a diferença em suas próprias vidas antes de lidar com os problemas
maiores. Ruff, com sua personalidade indomável, voraz, porém justa, nos faz
embarcar em sua jornada para entender sua vida e a das pessoas que o cercam.
Korin, amigo leal e inseparável, pode até ser um recurso de alívio cômico e de
tensão, entrementes é um grande personagem para ensinar a persistência e o
apoio que devemos dar a nossos amigos. Até diria que Korin tem características
similares com as de Rony Weasley, da saga Harry Potter.
            Áxia é uma das personagens mais complexas do livro, por
isso temos que observá-la com cuidado durante a leitura. Inicialmente, achei
que ela serviria apenas como aquela personagem com passado triste que vira a
donzela a ser resgatada pelo herói e o motiva para que ele derrote o vilão.
ERRADO! O passado dela só a torna ainda mais interessante, suas ações ao
decorrer dos capítulos me deixaram muito confuso. Tanto que minha única certeza
sobre ela é que não se definiria nem como mocinha e nem como vilã. Talvez a
palavra certa para definir Áxia seja “Vítima”. Vítima da maldade e da
ignorância das pessoas, vítima da guerra que arruinou sua vida e a deixou numa
miséria maior do que ela já se encontrava. Não poderia continuar falando dela
sem dar spoilers, então voltarei a focar na história sob um âmbito geral.
             Personagens carismáticos, descrições de batalhas
empolgantes, que te põe no cenário de luta e soldados bestiais que oferecem um
perigo tão real que mexe com nosso psicológico. Recomendo a obra para quem não
tem medo de sentir a crueldade das tropas 
de Zamir – o dragão soberano que ganhou uma história muito mais complexa
que nos Nerdcasts Especiais de RPG* – sobre o povo devoto de “São Arnaldo”, uma
figura cujo o nome pode causar estranheza aos desavisados, mas que há toda uma
explicação.
           “As pessoas são más ou se tornaram más pela influência e
consequência dos males de Zamir?”, “Quem é realmente o Prior?”, “Áxia é
confiável?” e muitas outras indagações matutaram dentro da minha mente, algumas
foram respondidas, outras continuam no mistério. 
           Sem dúvida, um dos melhores livros lançados em 2014 aqui
no Brasil, que está com um terreno fértil para boas histórias fantásticas. Se o
segundo livro seguir com a mesma intensidade e qualidade do primeiro, podemos
esperar mais leitores emocionados acompanhando essa saga heroica de Ruff
Ghanor, que teve uma revelação fulminante na última frase desta primeira parte
de sua lenda! A Lenda de Ruff Ghanor está avaliado em 4.8 de 5 no Skoob, e eu
não poderia concordar mais com isso!
*Nerdcast é um podcast do site www.jovemnerd.com.br
que fez um episódio especial com seus participantes interpretando e jogando com
seus personagens de RPG. O livro saiu justamente pela união do Jovem Nerd com o
escritor Leonel Caldela.