Crônica de Higgar – Capítulo 1
Por Leandro Barcellos
Por muito tempo reinou a paz em Higgar, uma terra com campos arborizados, colinas verdejantes e um clima agradável, a população de Higgar se sustentava pela venda de suas pedras preciosas e artesanatos incríveis criados pelas ciganas.
As ciganas de Higgar eram ligadas com a feitiçaria e mistificações dos elementos naturais, todos seus filhos foram destinados feiticeiros e detentores do controle elemental.
Ildra era a cigana mais velha de Higgar, a ligação da experiente mulher com a magia era visível, além de ser mãe de um dos feiticeiros mais fortes do reino, Ildra Também era detentora do primeiro xamanismo individual de sua vila.
            O filho de Ildra se chamava Baltazar, um menino com espírito de liderança e conhecimento vasto sobre a magia de seu planeta. Baltazar liderava um grupo que se auto-intitulava Defensores de Higgar, o grupo era formado por outros feiticeiros e xamãs que viviam no reino, saqueavam e roubavam cavalos de outros reinos para comercializar em mercados independentes dentro do planeta.
            Higgar pertencia ao planeta Aurea Villa, dentro do misterioso planeta havia outros dois reinos, Hulliar e Tauriar, todos pacíficos e com boa relação entre eles.
A paz cessou quando naves de outros planetas começaram a descer em Aurea Villa e trouxeram revelações para o planeta. Uma das naves era pertencente ao capitão Thorton, um homem alto, musculoso e totalmente diferente da população de Aurea Villa. Thorton se abrigou em Higgar e logo fez muitas revelações,
            Baltazar acreditava nas palavras do alienígena e logo eles criaram uma amizade sólida. – Você será rei de Higgar, Baltazar, seu filho mais velho provavelmente vai ser o rei durante a Guerra de sangue – dissera o alienígena.
Higgar e toda Aurea Villa nunca haviam passado por tempos de guerra, talvez eles fossem devastados se caso um inimigo espacial tentasse invadir o planeta e dominar o pequeno reino.
– Um ódio sombrio vai marcar sua geração jovem feiticeiro – completou o capitão Thorton. – Nenhuma paz reina soberana, dentro da luz sempre há escuridão.
Baltazar percebe que as palavras do capitão alienígena se referiam ao seu reino e consequentemente atingirão o seu planeta, então o jovem feiticeiro decide escutar o capitão e começar a planejar sua caminhada até o trono de Higgar.
Possuir uma magia rara dentro de um reino pequeno como Higgar ajudava o filho da cigana, todo o povo confiava e acreditava que Baltazar era um jovem justo e consciente, nada poderia recuar os seus pensamentos.
O Grupo Defensores de Higgar, no qual Baltazar era líder era formado por Vittor, Rachel e Drazilla, todos eles possuíam a mesma filosofia de vida e queriam ajudar Baltazar a comandar o reino e o tornar rei por definitivo.
Vittor se considerava um mago altamente experiente, por isso ele criou a casa oficial de magia em Higgar, responsável por identificar poções e dons mágicos dos habitantes mais novos do reino. Rachel era uma feiticeira que controlava a terra e suas vertentes, tudo que pertencia a natureza ela estudava, fenômenos, curiosidades e ataques, o elemento terra era bem representado por uma linda mulher ruiva de olhos verdes e com vestimentas azuis de cigana. Drazilla era uma xamã, a mais nova do grupo, que apenas seguia as ordens de seu protetor, o feiticeiro Baltazar.
Os defensores de Higgar eram respeitados pelo povoado, todo o reino tinha noção que se um dia o planeta entrasse em colapso somente eles poderiam proteger o trono.
Baltazar entrou em acordo com alguns líderes sociais do local e se tornou o primeiro rei de Higgar, mesmo sendo considerado um dos três reinos de Aurea Villa, Higgar nunca possuiu um rei definitivo, os líderes de algumas aldeias ou as próprias ciganas que comandavam o reino em algumas ocasiões.
O jovem feiticeiro ergueu o reino, transformou as vendas do povoado em economia mercantil e Higgar se transformou na maior potência de Aurea Villa, mas logo vieram as guerras.
O poder de Baltazar era enorme. Sozinho, o rei vencia os exércitos de outros reinos e organizava alguns ataques em suas fortalezas, os defensores de Higgar também o ajudavam; Vittor criava magias para aumentar o poder de seu líder e de Rachel; Drazilla criava poções de cura e de defesa para seus amigos, tudo era altamente calculado e quase alcançava a perfeição. Higgar se tornou o reino mais próspero e poderoso de todo o mundo.
Grandes heróis envelhecem e começam a se tornar lendas, isso não foi diferente no reino de Baltazar e seus companheiros. Os defensores de Higgar se tornaram mitos e envelheceram. Baltazar teve dois filhos, Elizeu e Eitor, ambos eram da classe dos espadachins, essa classe era definida pelo o controle mágico em armas brancas, como espadas, floretes, machados e outros equipamentos.
Eitor e Elizeu eram gêmeos, tudo era dividido igualitariamente para os dois, porém o trono não seria dividido. Uma guerra psicológica e ambiciosa começou entre eles, um sempre queria ser melhor que o outro para provar quem era o verdadeiro rei.
Vittor, o eterno amigo de Baltazar era padrinho de Eitor e consequentemente tinha relações afetivas minimizadas com Elizeu. Já Rachel era madrinha de Elizeu e definitivamente não gostava muito do outro irmão, sempre se mostrando ambiciosa, Rachel fez um pacto com Elizeu, ela o ajudaria a se tornar rei e comandar Higgar.
Drazilla, por ser mais nova, continuou a comandar as tropas do reino. A poderosa xamã era líder do exército e sabia tudo sobre os outros dois reinos. Durante o comando de Drazilla, Higgar era um reino pacífico, mas Hulliar e Tauriar ainda sentiam remorsos e queriam vingança. O objetivo era destruir Higgar e matar os líderes de seus defensores.
Vittor viajou para outro planeta próximo de Aurea Villar, dentro do novo planeta o mago descobriu a antologia mágica, tudo sobre o mistério do universo mágico estava resumido e contado em pequenos pedaços de papel.
            Um amigo antigo do capitão Thorton deu para o mago de Aurea Villa uma espada abençoada, o nome dela era Zangarleft , a espada possuía uma magia que fazia de seu detentor um guerreiro sem emoção, assim ele diminuía seus erros em batalhas.
            Zangarleft ainda tinha suas lâminas feitas de topázio austral, esse tipo de pedra era famosa por uma lenda que fazia dela o único objeto natural que ajudava o ser mágico a liberar sua alma, com a liberação da alma o poder do guerreiro que possuíra o topázio poderia até dobrar, fazendo dele totalmente favorito para vencer qualquer batalha.
            Vittor entrou em contato com Drazilla e percebeu que a revolta dos outros dois reinos estava encaminhada. Com os benefícios de Zangarleft a esperança era entregá-la para um dos príncipes e que o detentor de Zangarleft pudesse acabar com a guerra sozinho.
            Nos pensamentos do velho mago não seria um plano irreal, na época em que ele lutava junto de seu melhor amigo Baltazar e as outras componentes dos defensores de Higgar a vitória em desvantagem era rotina, mas a maior dificuldade era decidir qual o príncipe que iria obter Zangarleft. Mesmo Eitor sendo seu afilhado, Vittor não queria cometer nenhuma injustiça, então o mago começou a verificar a vida dos dois irmãos.
            A maior aliada de Elizeu era Rachel, a ex-componente dos defensores de Higgar começou a ter atitudes suspeitas e viajar muito para o reino de Hulliar, então Vittor decidiu entregar a espada de topázio para Eitor e confiar uma suposta guerra em seu verdadeiro príncipe.
            Alguns curandeiros de Higgar constataram uma doença degenerativa em Baltazar, logo a evidenciação pela a tomada do trono cresceu. Drazilla foi chamada para tentar curar seu antigo companheiro, mas nada pode fazer, um xamã só pode curar aquilo que for do âmbito mágico, todas as doenças do âmbito natural não poderiam ser curadas por Drazilla.
            Rachel teve um romance com um soldado inimigo, traiu seu reino e se aliou com o reino de Hulliar, Logo Elizeu percebeu que seu irmão era tratado diferente por Vittor e Drazilla, então também se aliou à Hulliar escondido do seu pai.
            A guerra chegou, Eitor e Elizeu eram as únicas esperanças de Higgar, mas no caminhar da batalha Elizou apunhalou seu irmão, mesmo com Zangarleft, Eitor não reagiu e apenas agonizou no chão. Tauriar atacou Higgar pela frente e Hulliar por trás, a batalha foi um massacre, a espada de topázio foi capturada por Vittor, o velho mago conseguiu fugir com esperanças de que Higgar fosse reerguida.
            O fim da guerra sangrenta fez de Aurea Villa um único império, Baltazar e Drazilla foram mortos nas mãos de Rachel e a traição de Elizeu lhe fez detentor do trono imperial, o feito do irmão traidor não havia sido esquecido por Vittor, que prometeu vingança e iria voltar e reconstruir o reino de Higgar.

Tiago Amorim
Deus é top

Tiago Amorim

Responsável por não deixar a máquina do 1 Real a Hora parar. Ao invés de atacar de DJ nas baladinhas tops, ataco de escritor e tento finalizar um livro há éons de eras.
Tiago Amorim
Deus é top